Xô, tristeza! Veja filmes para ficar feliz com a solteirice

26 mai 2015
09h07
  • separator
  • comentários

Todo ano é a mesma coisa. O Dia dos Namorados se aproxima e quem ainda não encontrou um par perfeito para chamar de seu acaba sentido uma pontada de tristeza por não estar em um relacionamento sério com alguém. Mas não há razão para isso, até porque, às vezes, o bom e velho ditado “antes só do que mal acompanhado” faz muito sentido. Duvida? Confira, então, alguns exemplos do cinema que comprovam que, tanto nas telonas quanto na vida, ficar sozinho pode, sim, ser um bom negócio. :)

Alguns filmes de sucesso do cinema comprovam que aquele ditado “antes só de que mal acompanhado” pode fazer muito sentido na vida real
Alguns filmes de sucesso do cinema comprovam que aquele ditado “antes só de que mal acompanhado” pode fazer muito sentido na vida real
Foto: Shutterstock

“Dormindo com o inimigo” - 1991
Protagonizado pela lindíssima Julia Roberts, o filme “Dormindo com o inimigo”, de 1991, conta a história de Sara, uma mulher que parece ter um casamento feliz e próspero com Martin (Patrick Bergin), mas que, na verdade, vive o pior dos pesadelos ao lado marido. Isso porque, entre quatro paredes, ela é espancada frequentemente por ele e, por isso, chega ao ponto de forjar a sua própria morte e tentar recomeçar a vida em outra cidade.

“Psicose” - 1960
Alfred Hitchcock é um dos cineastas mais emblemáticos da história do cinema. Não à toa, é dele o filme “Psicose”, considerado um dos maiores clássicos da sétima arte. No longa-metragem de 1960, o personagem Norma Bates (Vince Vaughn) mata mulheres solteiras por quem o seu filho se interessa, por achar que elas são más influências para o herdeiro. No auge de sua insanidade, ele esfaqueia a secretária Marion Crane (Anne Heche), enquanto ela está no chuveiro, matando-a friamente. A cena do assassinato virou um marco do filme, que você, com certeza, conhece. :)

“Atração Fatal” - 1987
Um dos principais filmes de Michael Douglas, “Atração fatal’ conta uma história de  obsessão vivida por Dan Gallagher (Michael Douglas) e sua amante, a executiva Alex Forrest (Glenn Close), que ao longo do filme não aceita mais se encontrar às escondidas com o amado. Totalmente desequilibrada emocionalmente e até mesmo perigosa, ela não mede esforços para permanecer ao lado do parceiro e se dispõe a fazer coisas assustadoras para atingir seu objetivo.

“Instinto Selvagem” - 1992
Protagonizado por nada mais nada menos que Sharon Stone, o filme ‘”Instinto Selvagem” é um dos grandes sucessos do cinema. Na trama, o policial Mike Curran (Michael Douglas) se apaixona por Catherine Tramell (Sharon Stone), que é suspeita de uma série de assassinatos que ele próprio está investigando. Após não resistir aos encantos da moça, Nick engata um romance com ela, mas novas mortes acontecem e tudo indica que ele será a próxima vítima. O problema é que o policial está atraído demais por Catherine para se manter longe dela.

“Medo” - 1996
Filme de suspense americano, dirigido por James Foley, “Medo” conta a história de David McCall (Mark Wahlberg), um jovem aparentemente comum que começa a namorar Nicole (Reese Witherspoon) e, aos poucos, revela sua verdadeira identidade.  Isso porque, quando o romance começa a frustrá-lo, ele se mostra um homem dominador e violento, e passa a aterrorizar a vida da namorada e de toda a família dela, incluindo até o pobre do cachorro, que é decapitado.

“Nunca Mais” - 2002
Longa de drama e suspense lançado em 2002, “Nunca Mais” conta com a atuação da estrela Jennifer Lopez no papel principal. Na trama, a bela dá vida à personagem Slim, vivida, que se casa com um homem rico que promete uma vida tranquila para ela e sua filha de cinco anos. A promessa, no entanto, não é cumprida. Slim sofre constantes abusos e decide ir embora, mas marido não admite o rompimento e decide persegui-la. 

Fonte: Agência Hélice

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade