PUBLICIDADE

CEO da GM diz que Chevrolet mantém estratégia de ser elétrica

Mary Barra, CEO global da General Motors, descarta mudança na estratégia de ter uma Chevrolet 100% elétrica em 2035

12 fev 2024 - 17h41
(atualizado às 19h29)
Compartilhar
Exibir comentários
Chevrolet Equinox EV
Chevrolet Equinox EV
Foto: GM / Divulgação

Muita gente interessada no fracasso dos carros elétricos difundiu a ideia de que a GM abandonou sua estratégia “zero emissão” devido ao recuo das vendas de BEVs nos Estados Unidos, Mas, na semana passada, a CEO global da General Motors, Mary Barra, colocou um ponto final nas especulações.

“Deixem-me ser clara: a General Motors vai zerar as emissões de seus veículos leves, nos Estados Unidos e Canadá, até 2035”, disse Mary Barra. “A GM mantém sua estratégia para EVs, com foco nas marcas Chevrolet, Cadillac e GMC, além dos furgões BrighDrop, bem como a estimativa comercial de até 300 mil unidades para este ano, só no mercado norte-americano.”

A posição enfática de Mary Barra foi publicada no site Mobiauto, em artigo de Homero Gottardello. “Mantemos a previsão de lucro variável para nossos veículos elétricos, já para 2024, e alcançaremos uma capacidade instalada para produção de 1 milhão de EVs, na América do Norte, até o ano que vem”, prosseguiu a executiva da GM. 

“No mesmo sentido, os cronogramas de lançamento dos novos Equinox EV e Silverado EV seguem inalterados”, afirmou Mary Barra. “Portanto, a reinserção da tecnologia plug-in, que voltaremos a ofertar para alguns modelos e segmentos, apenas nos auxiliará a cumprir os limites impostos pelos programas governamentais de controle de poluentes e redução do consumo de combustíveis.”

Mary Barra, CEO global da GM
Mary Barra, CEO global da GM
Foto: GM / Guia do Carro

Mary Barra fez essas declarações durante uma teleconferência na qual foi divulgado o relatório do último trimestre de 2023 para acionistas. O relatório completo está publicado no site de imprensa da GM.

A GM, portanto, não desistiu dos carros elétricos a bateria. O que ela está fazendo é adequar a sua produção ao volume que lhe permite cumprir as regras para emissões. Como a venda de elétricos no momento está em queda, será necessário produzir carros híbridos plug-in para alcançar as metas, devido ao maior volume que esses veículos trarão. 

“A procura dos consumidores norte-americanos por EVs é menor do que na Europa e na China, ao passo que os governos estaduais adotarão regras para emissões ainda mais rigorosas, nos próximos anos”, disse Barra. Os Estados Unidos terão que reduzir 56% dos poluentes até 2026. Seria impossível para a GM alcançar ⅔ das vendas só com elétricos, por isso “os híbridos plug-in farão uma ponte para os consumidores”, afirmou.

Embora o foco de uma Chevrolet 100% elétrica permaneça, é fato que a GM terá que ser mais flexível durante a transição. Inicialmente,a empresa acreditava que seria possível fazer uma ponte diretamente para os elétricos, mas nem na China isso aconteceu.

Mesmo no Brasil, segundo afirmou Santiago Chamorro, CEO da GM América do Sul, a única forma de atingir a meta “zero emissão” é com carros elétricos a bateria. como ainda faltam 11 anos até 2035 chegar, nesse período é quase certo que a GM terá carros híbridos também no Brasil, embora siga apostando no carro 100% elétrico.

Fonte: Mobiauto

Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade