Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Réu passa mal na chegada a fórum: "Não sou assassino"

Luciano Bonilha, responsável por comprar artefato pirotécnico que deu início ao incêndio na boate Kiss, precisou de atendimento médico

1 dez 2021 14h13
Compartilhar
Chegada de um dos réus, Luciano Augusto Bonilha Leão, para o início do julgamento do caso Boate Kiss
Foto: José Carlos Daves / Futura Press

Um dos réus que serão julgados pelo júri popular que analisa a tragédia da boate Kiss passou mal, gritou e chorou ao chegar ao Foro Central de Porto Alegre nesta quarta-feira, 1ª, no primeiro dia do julgamento da tragédia que deixou 242 mortos na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em 2013.

De acordo com a emissora SBT, Luciano Bonilha Leão foi chamado de assassino ao chegar ao local. As imagens mostram ele respondendo, muito abalado, às ofensas. "Eu não sou assassino", gritou o réu, sendo aparado pelos advogados.

Publicidade

Segundo a reportagem, Luciano Bonilha precisou de atendimento médico e foi levado ao ambulatório do tribunal.

Bonilha está entre os réus como acusado de ter comprado o artefato pirotécnico que deu início ao incêndio na casa noturna. Outras três pessoas também serão julgadas: Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann - sócios da boate Kiss - e Marcelo de Jesus dos Santos, ex-vocalista da banda Gurizada Fandangueira.

As famílias das 242 vítimas, e outros 636 feridos, esperam uma resposta da Justiça sobre a tragédia, que ocorreu durante o show do grupo. A expectativa é de que o júri dure entre 10 e 15 dias.

Fonte: Equipe portal
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações