Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

No Dérbi Campineiro 201, Ponte Preta e Guarani não saem do zero

Equipes criaram algumas chances de gol, mas pecaram nas finalizações; resultado não ajudou nenhum dos times

17 set 2021 23h23
| atualizado às 23h35
Compartilhar

Na noite desta sexta-feira (17), a Ponte Preta recebeu o Guarani para a disputa da edição 201 do Dérbi Campineiro. Apesar das chances criadas, as equipes não saíram do zero. Com isso, a Macaca subiu uma posição na tabela, mas segue próxima da zona de rebaixamento, enquanto que o Bugre fica na 5ª colocação.

Partida disputada no Moisés Lucarelli terminou sem gols (Foto: Divulgação/Thomaz Marostegan/Guarani)
Foto: Lance!

Agora, ambas equipes voltam a campo no meio da próxima semana. Na terça-feira (21), o Guarani visita o Remo, às 16h. Enquanto isso, na quarta-feira (22), a Ponte Preta vai até o Paraná enfrentar o Operário, às 21h30. Os dois jogos são válidos pela 25ª rodada do Brasileirão Série B 2021.

Publicidade

Bugre pressiona

Apesar de jogar fora de casa, o Guarani mostrou toda sua força e partiu para cima nos primeiros minutos, deixando evidente o porque da diferença dos times na tabela. Mais com a bola, a equipe verde levou perigo logo aos 3. Régis bateu falta de longe no canto, e Ivan caiu bem para espalmar.

Sem conseguir ter a posse, a Ponte Preta ficou acuada no seu campo defensivo e viu os visitantes trabalharem os passes. Somente depois dos 10 primeiros minutos a Macaca conseguiu pisar no campo de ataque. Rafael Santos e Richard tentaram o gol, mas mandaram para fora.

Mudança de panorama

Publicidade

Os dois chutes depois dos 10 minutos de jogo animaram a Ponte Preta e mudaram o desenho da partida. Com mais confiança, a Macaca passou a atacar mais e criou lances de perigo. Felipe Albuquerque finalizou de longe, e a bola passou com perigo. Pouco depois, Fessin saiu frente a frente com Rafael Martins e tocou por baixo do goleiro. Com o chute fraco, a defesa conseguiu cortar.

A pressão seguiu e, aos 25, o Bugre teve que lidar com uma verdadeira blitz na sua área. Richard e Moisés tentaram por diversas vezes no mesmo lance, mas a bola não entrou. Como resposta, Bruno Sávio tentou uma finalização de longe do outro lado, e Ivan encaixou.

Partida esfria

A reta final do primeiro tempo mostrou duas equipes mais preocupadas em se manterem firmes no campo de defesa. Sendo assim, as ações ofensivas foram poucas e os goleiros não precisaram trabalhar muito.

Publicidade

Na única chance real de gols. Rafael Martins cortou mal o cruzamento e a bola se ofereceu para Moisés. O atacante tentou tirar do goleiro, mas acabou tirando também do gol, levando o placar zerado para o intervalo.

Jogo demora a engrenar

A volta do intervalo foi morna. Os dois times retornaram se estudando muito e tendo muita cautela nas suas ações ofensivas. Desse modo, o setor de meio de campo foi onde a bola se concentrou grande parte dos primeiros 15 minutos da etapa final.

As duas equipes só conseguiram criar lances de perigo depois de algum tempo. A Ponte chegou com Richard, que recebeu de Rodrigão, invadiu a área e chutou para defesa de Rafael Martins. Mais tarde, Ivan saiu mal do gol e socou mal a bola. Mateus Ludke finalizou de primeira, mas mandou para fora.

Publicidade

Esquentando as luvas

Depois da primeira chances, as equipes se soltaram mais e começaram a retomar a confiança. Rodrigão começou a se movimentar mais pelo time da casa e por duas vezes tentou de fora. Na segunda e mais perigosa, o centroavante fez a bola pingar na frente de Rafael Martins que, mesmo assim, fez a defesa.

Do outro lado, Lucão do Break entrou e logo mostrou seu cartão de visita. Após sobra na área, o centroavante finalizou, e Ivan conseguiu fazer a defesa a queima-roupa.

Mudanças não surtem efeito

Publicidade

Com a partida muito equilibrada na posse de bola e com as defesas jogando bem, os técnicos tentaram mudar seus plantéis, mas o resultado não foi benéfico para nenhum dos lados.

Mesmo com mais fôlego e jogadores de velocidade, os setores defensivos continuaram se sobressaindo. O grande destaque da reta final ficou pela revolta de Régis, que deixou o campo para a entrada de Andrigo. No mais, o confronto se encerrou em 0 a 0.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 0 X 0 GUARANI

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP

Publicidade

Data/Horário: 17 de setembro de 2021 (sexta-feira), às 21h30

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)

Cartões amarelos: Cleylton, Rayan (Ponte Preta), Mateus Ludke (Guarani)

Publicidade

PONTE PRETA: Ivan; Felipe Albuquerque, Rayan, Cleylton e Rafael Santos (Marcelo Hermes, aos 19'/2°T); Marcos Júnior (Yago, aos 37'/2°T), André Luiz e Fessin (Camilo, aos 19'/2°T); Moisés (Iago, aos 37'/2°T), Richard e Rodrigão (João Veras, aos 37'/2°T). Técnico: Gilson Kleina.

GUARANI: Rafael Martins; Mateus Ludke, Thales, Ronaldo Alves e Bidú; Bruno Silva, Rodrigo Andrade (Índio, aos 34'/2°T) e Régis (Andrigo, aos 34'/2°T); Bruno Sávio (Pablo, aos 47'/2°T), Júlio César (Renanzinho, aos 34'/2°T) e Júnior Todinho (Lucão do Break, aos 25'/2°T). Técnico: Daniel Paulista.

Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações