Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Em noite ruim para o Fluminense, Diniz repete erros e se aproxima de desempenho do passado

Técnico demorou a reconhecer falha no esquema tático e promover alterações na equipe, além de não acertar nas substituições na partida contra o Unión Santa Fé

20 mai 2022 07h56
| atualizado às 09h40
Compartilhar

O Fluminense viu as chances de permanecer na Sul-Americana diminuírem. No empate sem gols contra o Santa Fe-ARG, a equipe não se portou bem e o resultado veio com gosto de derrota. A partida foi marcada pela pouca criação e erros técnicos, mas também por escolhas equivocadas de Diniz.

Fernando Diniz segue invicto no comando do Fluminense, mas o empate teve sabor de derrota para o Tricolor (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)
Fernando Diniz segue invicto no comando do Fluminense, mas o empate teve sabor de derrota para o Tricolor (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)
Foto: Lance!

Na Argentina, o treinador demorou a reconhecer as falhas do esquema tático e ainda desorganizou o time nas substituições. Assim, o "Dinizismo" pareceu estar mais próximo de sua primeira passagem pelo clube do que de um futuro inovador.

Publicidade

Diniz chegou pela primeira vez no Fluminense em 2019. Naquela temporada, o elenco empolgou a torcida com atuações técnicas e jogadas ensaiadas, que davam a sensação de um time se reorganizando. Naturalmente, a nova forma de jogar resultou em mais chances criadas pelo Tricolor, que raramente as aproveitava para balançar a rede. Em contrapartida, o time ficava muito exposto sendo ofensivo durante os 90 minutos e sofria gols que poderiam ser evitados caso a transição defensiva estivesse em dia.

Após oito meses de Diniz no Flu, as derrotas pesaram mais que o futebol bonito e o técnico foi demitido. Desde então, ele passou por São Paulo, onde obteve bons resultados, Vasco e Santos, clubes em que não foi tão bem. Apesar de manter as bases em seu trabalho, Diniz demonstrou evolução no aspecto defensivo e voltou para Laranjeiras depois da saída de Abel Braga. Em sua apresentação, o treinador afirmou que não era mais o mesmo da primeira experiência com o Fluminense.

Os jogos iniciais foram, de fato, uma sinalização da nova filosofia de Diniz. Equilibrado entre as fases do jogo, o Fluminense se classificou para as oitavas de final da Copa do Brasil, venceu o Junior Barranquilla (COL) e pela primeira vez não perdeu para o Palmeiras no Allianz Parque. Já nos primeiros dias, o técnico reabilitou jogadores como Nathan e Wellington. Porém, no empate contra o Santa Fe, os erros táticos lembraram muito a versão de 2019.

Publicidade

A saída de bola com toques curtos e explorando o corredor central foi adotada para o jogo. De pé em pé, a ideia seria envolver o adversário para quebrar as linhas e chegar ao gol. Mas não foi o que aconteceu: o Santa Fe possuía defensores experientes em campo, que não só interceptavam o Flu, como também puxavam contra-ataques rápidos. Improvisado na lateral, Yago Felipe deixou o caminho livre para os avanços dos argentinos. Na pressão dos mandantes, o bloqueio defensivo foi envolvido inúmeras vezes, em especial pela esquerda, e a recomposição se mostrou tão lenta quanto os lances ofensivos.

Ao tirar Nathan e Ganso ao mesmo tempo, na segunda etapa, Diniz bagunçou o que já era uma atuação ruim. Sem um meia para facilitar a transição ofensiva, os atacantes se viram desconectados do meio-campo. Porém, mesmo antes da substituição, os passes à queima roupa não trouxeram resultado. Assim, o Fluminense fez o jogo com menos finalizações da temporada até agora, com apenas três tentativas. Nenhuma delas foi no alvo, assim como não houve nenhuma chance de gol. Os dados são do site "SofaScore Brazil".

Ainda que pese o pouco tempo de treino e o desgaste físico da equipe, Diniz não foi bem em Santa Fe. Assim, o Fluminense precisará abandonar de vez o "Dinizismo" de 2019 para dar conta da classificação para as oitavas de final da Sul-Americana. Além de vencer, o time terá que fazer seis gols e torcer pelo empate dos dois melhores colocados. Ainda que o resultado contra o Santa Fe não tenha eliminado o clube, as escolhas do técnico representam um alerta para o próximo jogo e o restante da temporada do Tricolor.

Show Player
Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações