PUBLICIDADE

Não encontro produtos não testados em animais. O que fazer?

Uma das dúvidas mais comuns é essa, e é fácil de responder, se tirarmos a idealização imaginária de um mundo perfeito

8 fev 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: CanvaPro

Há alguns anos estávamos dando uma palestra em uma universidade e um jovem periférico nos abordou com essa questão, ele trouxe a situação dele e nos perguntou como resolver, nos disse ''Eu não tenho acesso a pastas de dentes e sabonetes que não testam em animais, na minha região eu não consigo encontrar de jeito nenhum'', como fazer?

Para nós, sempre foi muito simples responder essa questão, até porque uma coisa é a idealização de uma causa e a realização dela, na prática.

A resposta que demos foi mais ou menos isso aqui: o veganismo é dentro do possível e do praticável, se você não tem acesso ao produto por questões de acesso ao produto ou por falta de grana, não te faz menos vegano utilizar uma pasta ou um sabonete testado em animais, porque você não tem opção nesse caso.

O mais importante é a preocupação com a exploração animal, sua consciência e seus pensamentos, não o fato de você conseguir comprar absolutamente tudo com selo vegano, sem testes em animais e ter um estilo de vida que na maioria das vezes está fora do seu alcance. Isso porque o veganismo é dentro do possível de cada um e dentro da nossa realidade social, regional, econômica e material.

Se tivermos consciência de que os animais não devem ser explorados e que essas práticas são cruéis e tentarmos ao máximo colocar em prática já é algo muito positivo. Mas nem tudo depende de nós, estamos em um sistema onde a exploração animal é praxe, e as empresas têm total controle da produção e comercialização de produtos.

Pessoas com dinheiro que vivem em regiões com acesso a diversos produtos, com toda certeza terão mais facilidade para acessar produtos livres de exploração animal. Em muitas regiões do Brasil a realidade é outra, os produtos são limitados e a grana é curta.

Esse é um dos grandes problemas para a popularização do veganismo, sem essa compreensão da estrutura desigual, de uma sociedade dividida por classe, o veganismo meramente individualista é sem sentido.

Então, se você não tem acesso a nenhum produto não testado em animais, já pesquisou em todos os lugares, já colocou um esforço enorme para não contribuir com a exploração, não tem o que fazer.

No nosso caso vivemos numa periferia, mas temos acesso a diversos produtos não testados em animais, assim, com o nível de informação que temos hoje utilizamos todos os produtos de higiene e cosméticos sem testes em animais. Agora, se temos a opção e informação, e optamos pelos que foram testados, marcas que não estão nem aí para os animais ou qualquer coisa do tipo é, de fato, contribuir com a exploração de animais e financiar uma indústria que não tem nenhum compromisso ético perante outras espécies.

O que precisamos entender é que se opor a exploração animal não é uma atitude meramente individual, é necessário que as empresas mudem suas condutas, busquem por práticas mais éticas para testar substâncias e consiga colocar no mercado por preços acessíveis para a maior parte da população.

Produtos não testados em animais não devem ser tratados como nicho de gente rica e de blogueira da moda. Testar produtos em animais é desnecessário.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade