PUBLICIDADE

Me tornar vegano foi a decisão mais importante da minha vida 

Muitos acham que ser vegano é difícil, que vai complicar a vida. Mas isso é uma ideia que não condiz com a realidade

19 mai 2023 - 08h38
(atualizado em 8/6/2023 às 15h13)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Vegano Periférico

Na vida, temos que fazer diversas escolhas e tomar decisões que, de certa forma, determinam nosso futuro. Essas decisões podem gerar resultados negativos ou positivos. Quando decidi não mais contribuir com o sofrimento e morte de animais sencientes, eu não esperava ter sido tão benéfico. Fiz uma escolha baseada em valores éticos e num profundo sentimento de justiça.

A minha principal intenção ao virar vegano era não mais contribuir com a exploração animal e passar a defender os animais de forma direta, levantando a bandeira de que todos os seres merecem viver e serem respeitados.

Embora não tenha pensado exclusivamente na minha vida com essa mudança, hoje posso falar que foi a melhor coisa que fiz, a decisão mais importante que tomei na vida.

Muita coisa mudou de lá para cá. Mas antes de falar das mudanças, vou mencionar como era a minha visão antes do veganismo. Bom, na periferia você não tem contato com pessoas vegetarianas, muito menos veganas, não faz parte da nossa realidade.

Eu enxergava esse movimento como algo completamente elitista, de pessoas exclusivas, que lutam pelos animais e que são bitoladas em saúde. Na minha visão, era um movimento feito para pessoas ricas e de classe média.

Antes de tomar a decisão, eu pensava: "o que vou comer", "o que as pessoas à minha volta vão pensar?", "será que é saudável?", "o que a rapaziada na quebrada vai pensar dessa decisão?", "Será que isso é pra mim?".

Uma série de questionamentos surgiram, o que é normal, pois estamos indo na contramão da cultura, das tradições familiares, dos hábitos mais arraigados na nossa sociedade.

Mas assim que tomei a decisão de abandonar produtos de origem animal, me alimentar à base de vegetais, não utilizar nenhum item, acessório ou adorno de origem animal, e comecei a usar produtos de higiene, limpeza e cosméticos sem teste nos animais, a melhora que isso trouxe para a minha vida é inexplicável.

Primeiro, eu tinha uma alimentação completamente monótona, repleta de produtos de origem animal, muita fritura, zero alimentos vegetais (só arroz, feijão e mistura animal). Vivia com dores de cabeça, dor de estômago, intestino preso (não consumia nada de fibra), fadiga, indisposição e vivia gripado.

E a partir do momento que mudei minha alimentação (completamente vegana), eu me tornei muito mais contente, disposto e saudável. Isso reflete muito na qualidade de vida.

Além da melhora na saúde física e mental, eu aprendi muita coisa na cozinha, como receitas simples, nutritivas e saborosas e a usar diversos tipos de temperos. Antes eu fritava um filé de frango (pedaço de galinha), esquentava o arroz e o feijão, e era isso.

Hoje, faço hambúrgueres diversos, grãomelete, couve na mwamba, macarrão com creme branco de castanha, nhoque com molho rosé, mas até uma simples batata-doce em rodela na frigideira que aprendi me traz mais alegria.

Outro ótimo benefício, é a autonomia. Antes, eu era completamente dependente. Mas ao se tornar vegano, você precisa ser independente, porque o mundo não está preparado para pessoas veganas. E isso faz com que a gente desenvolva uma autonomia muito libertadora. Viver na dependência de pessoas, de produtos, torna a vida passiva, sem brilho.

A minha visão de mundo mudou completamente. Viver de forma consciente, agindo de maneira lúcida, tendo ações práticas no dia a dia, tira o sentimento de impotência, traz mais confiança em tudo e faz a gente olhar o mundo de outra maneira. E se tornar vegano é buscar outras perspectivas.

Uma outra coisa massa, foi a qualidade das relações com as pessoas. Melhorou muito. Conheci pessoas incríveis, com um olhar amplo e consciente. Estar em contato com pessoas que buscam mudar a sua relação com o meio ambiente, com a alimentação e com os animais, é muito enriquecedor. As trocas de ideias são sempre muito agregadoras.

Além disso, as ideias com os parceiros das antigas ficaram mais ricas, eles trazem questionamentos e indagações sinceras e vamos aprendendo juntos e, com isso, acabamos conversando sobre assuntos diversos. Não fica nos mesmos assuntos de sempre.

Em resumo, viver com a consciência tranquila, sabendo que você está fazendo algo muito positivo, bem fundamentado, se alimentando bem, com uma disposição incrível, agindo de maneira ética e justa, é sem dúvida uma das melhores coisas da vida. Por isso, ter me tornado vegano foi a melhor escolha que eu fiz.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade