PUBLICIDADE

Opinião: a importância do clipe de funkeiros sobre Vini Jr.

Os Pretos no Devido Lugar é um belo “racistas não passarão”, que não foi dado por outros grupos sociais representativos

3 jun 2024 - 15h55
(atualizado às 16h08)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Nos versos individuais e no conjunto das rimas, o nível é quase sempre alto. Visual da obra, manequim, cenário, tudo profissional. Mas o principal não é estourar de likes, apesar de correr o risco. É ter a resposta registrada, o posicionamento político estabelecido.
Vini Jr. conquistou a Champions League, marcou o gol do título e foi eleito o jogador da temporada 2023-24
Vini Jr. conquistou a Champions League, marcou o gol do título e foi eleito o jogador da temporada 2023-24
Foto: Reprodução Instagram

Em meio à avalanche de informações em geral, e sobre Vini Jr., em particular, não deveria passar batido o clipe com uma dúzia de funkeiros homenageando o jogador.

É um minidocumentário. Não vai mudar a história da música, nem do videoclipes, nem pretende, nem precisa, mas é importante, aí sim, como resposta coletiva e caprichada ao racismo.

Reconfortante perceber que grupos reagem a um dos maiores absurdos da história recente do futebol, as reiteradas agressões racistas ao craque preto. Finalmente, uma resposta à altura.

Bom saber que os manos (quase todos) e minas (representadas por Ludmilla) podem deixar por alguns instantes o discurso da ostentação e esbórnia endinheirada para se posicionar politicamente.

O clipe de Os Pretos no Devido Lugar é um belo “racistas não passarão”. É um rechaço que, enquanto grupo social representativo, não foi dado por políticos, instituições futebolísticas, muito menos pelos jogadores brasileiros, dos quais não se poderia esperar que abandonassem sua praia particular, alienada.

Nos versos individuais e no conjunto das rimas, o nível é quase sempre alto. Visual da obra, manequim, cenário, tudo profissional. Os lances de Vini Jr. em campo são belíssimos, assim como das crianças nas favelas, cenas bem editados e encaixadas no lugar certo da narrativa.

O principal não é estourar de likes, apesar de correr o risco. É ter a resposta registrada, o posicionamento político estabelecido.

No final, Ice Blue, como sempre, faz aquilo que é mestre: comentários pontuais absolutamente indispensáveis.

É uma boa notícia neste Brasil de retrocessos inacreditáveis, incluindo o racismo. Daqui uns dias, se continuar assim, vão querer revogar a Lei Áurea.

Fonte: Visão do Corre
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade