PUBLICIDADE

Museu do Ipiranga abre exposição sobre móveis dos últimos 400 anos

São 164 peças feitas, entre os séculos 16 e 21 [...]

11 jun 2024 - 07h45
(atualizado às 15h41)
Compartilhar
Exibir comentários

Nesta terça-feira, 11 de junho (terça), o Museu do Ipiranga inaugura a exposição temporária "Sentar, guardar, dormir", que revela a evolução de diferentes tipos de mobiliário ao longo do tempo.

Com foco nas três ações humanas que dão nome à exposição, assim como nas soluções criativas adotadas em diferentes épocas, o Museu do Ipiranga realiza essa mostra de móveis produzidos entre os séculos 16 e 21, com as peças criadas de acordo com as demandas de cada período.

As 164 peças escolhidas, entre elas, bancos, cadeiras, sofás e escrivaninhas, estabelecem um diálogo entre os acervos do MCB (Museu da Casa Brasileira), com 118 móveis, e do Museu Paulista, com 46 peças, expondo a complementaridade dos acervos das duas instituições estaduais paulistas.

Cama Patente
Cama Patente
Foto: José Rosael/Acervo do Museu Paulista da USP / Viagem em Pauta

Para facilitar o diálogo com o público, a exposição foi organizada por tipos de móveis, permitindo uma comparação clara entre as formas de desenvolvimento do mobiliário, seja por métodos artesanais ou industriais.

A diversidade cultural e social brasileiras está presente na exposição, em peças de heranças indígena, portuguesa e afro-brasileira, além daquelas ligadas às diversas imigrações e migrações que marcaram o Brasil.

Entre os destaques está a cadeira Paulistano, obra do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, de 1957, a famosa "cadeira-pudim" de aço espiral, muito fino e flexível, que é "vestido" com uma capa em couro ou lona.

Cadeira Paulistano
Cadeira Paulistano
Foto: Helio Nobre/Coleção MCB / Viagem em Pauta

SENTAR

Essa seção da exposição apresenta móveis populares, cadeiras e poltronas feitas por designers dos séculos 20 e 21 e conjuntos de sofás e cadeiras dos séculos 18 e 19.

Entre elas, é possível ver cadeiras de balanço, sofás, poltronas, bancos e cadeiras de costura. Entre os destaques, figuram peças elaboradas para o trabalho como uma cadeira de barbeiro e um raro exemplar de cadeira de dentista portátil, além de bancos e esteiras indígenas.

GUARDAR

São apresentados diversos tipos de móveis usados para armazenar roupas, cartas, documentos e valores, como caixas, canastras, cofres, cômodas, armários, guarda-roupas, contadores, papeleiras e escrivaninhas.

Entre os destaques, estão a cômoda papeleira com seus sistemas de segredo e cangalhas utilizadas em mulas para o transporte de cargas e o guarda-roupa que que pertenceu ao aviador Alberto Santos Dumont.

Foto: José Rosael/Acervo do Museu Paulista da USP / Viagem em Pauta

DORMIR

São exibidos móveis que evidenciam diversas formas de deitar e descansar, da rede de origem indígena às camas de casal.

Muitas delas foram ofertadas às coleções dos museus por terem pertencido a membros das elites, como a família imperial e nobres que receberam seus títulos dos imperadores, como a Marquesa de Santos, ou de personalidades da política no regime republicano.

"Sentar, guardar, dormir" ficará em cartaz em um salão de exposições temporárias, com 900 m², no piso jardim, o novo pavimento do Museu do Ipiranga.

A exposição tem curadoria dos docentes do Museu Paulista, Maria Aparecida de Menezes Borrego e Paulo César Garcez Marins, e do convidado Giancarlo Latorraca, arquiteto e ex-diretor técnico do Museu da Casa Brasileira.

Também colaboraram na curadoria os assistentes Rogério Ricciluca Matiello Félix e Wilton Guerra, pela primeira vez juntos.

SAIBA MAIS

"Sentar, guardar, dormir: Museu da Casa Brasileira e do Museu Paulista em diálogo"

Museu do Ipiranga (Rua dos Patriotas, 100 - Ipiranga)

De terça a domingo (incluindo feriados), das 10h às 17h

Ingressos para as exposições de longa-duração: R$ 30 (grátis às quartas-feiras e primeiro domingo do mês)

A exposição fica em cartaz até 29 de setembro

Viagem em Pauta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade