3 eventos ao vivo

Jornal seleciona lugares paradisíacos, mas perigosos para turistas

13 ago 2013
08h46
atualizado em 29/11/2013 às 17h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Nosso planeta tem inúmeras maravilhas naturais e históricas. No entanto, problemas sociais, políticos e de segurança nos impedem de conhecer muitas delas. Confira a lista com os destinos mais perigosos do mundo, selecionados pelo jornal britânico The Telegraph. 

Iêmen: destino situado na região conhecida como “Chifre da África”, o Iêmen é um local inseguro conhecido por abrigar piratas em seu litoral e terroristas da Al Qaeda em seu território. Mas além das notícias ligadas à violência e problemas, o país tem algumas maravilhas como o incrível arquipélago de Socotra e a capital Sana’a, ambos listados no Patrimônio Mundial da UNESCO. 

Iraque: nas últimas décadas, o Iraque frequentou as manchetes por notícias negativas como as duas guerras que viveu, o sombrio regime de Saddam Hussein e os ataques terroristas que seguiram a invasão norte-americana. Hoje, apesar da relativa estabilidade o país continua pouco recomendado para os turistas, mas alguns viajantes se arriscam para conhecer belezas como a Arca de Ctesiphon, ao sul da capital Bagdá. A região do Curdistão, ao norte, é uma exceção no país com segurança e tranquilidade que atraem visitantes estrangeiros. 

Irã: turistas que visitam o Irã sofrem riscos como detenções arbitrárias por parte de autoridades policiais e agressões a mulheres que estiverem descobertas. Mas este país é um dos berços culturais da humanidade com atrações como o Palácio de Golestan, na capital Teerã a fantástica cidade de Ispaão, com suas impressionantes mesquitas, palácios e diferentes prédios históricos. 

Líbia: instabilidade política e ameaças terroristas são os principais motivos que fazem da Líbia um destino pouco recomendado para o turismo. A capital, Tripoli, é conhecida por seu vibrante centro histórico e tem atrações como o Museu do Castelo Vermelho, com mais de 5 mil anos de história líbia. País afora, encontram-se belezas que fazem parte do Patrimônio Mundial da UNESCO como os sítios históricos de Leptis Magna e a Velha Cidade de Ghadames. 

Síria: atualmente, a Síria vive uma guerra civil, numa situação extremamente instável e perigosa. Em épocas de paz, este país do Oriente Médio tem atrações que merecem a visita como a capital Damasco, uma das cidades habitadas continuamente há mais tempo no mundo e o Krak des Chevaliers, magnífico castelo da época das cruzadas. 

Afeganistão: com magníficas paisagens e uma rica cultura, o Afeganistão vive em conflito desde os anos 1970, quando se seguiram a invasão soviética, anos de regime talibã e um conflito armado com os Estados Unidos. Na atualidade, o país continua a oferecer perigo a seus visitantes, com riscos de violência, atentados terroristas e sequestros em estradas. 

Mali: a maioria das atrações do Mali, como a cidade histórica de Tombuctu, encontram-se situadas na região norte do país africano. Esta região encontra-se atualmente controlada por radicais islâmicos e não oferece estabilidade nem segurança para os turistas. 

<p>Importante território do norte da África, a Argélia sofre com ameaças terroristas de grupos islâmicos</p>
Importante território do norte da África, a Argélia sofre com ameaças terroristas de grupos islâmicos
Foto: Getty Images

Argélia: importante território do norte da África, a Argélia sofre com ameaças terroristas de grupos islâmicos. Os turistas que, mesmo assim, visitam o país, encontram maravilhas como as ruínas de Djemila, o deserto do Saara e as montanhas de Hoggar. 

Somália: poucos turistas aterrissam no aeroporto de Mogadisho, capital da Somália, um dos países mais pobres e violentos da África. As autoridades esperam que a situação mude nos próximos anos, desenvolvendo as praias e parques nacionais como ponto de viagem para visitantes estrangeiros. 

Paquistão: situado entre a Índia, o Afeganistão e o Irã, o Paquistão é um país historicamente instável e imprevisível.  Diferentes regiões figuram na lista não recomendada para turistas, como a cidade de Peshawar, a estrada de Karakoram entre a capital Islamabad e Gilgit, o Vale de Kales e as cidades de Quetta e Nawabshah. 

Etiópia: uma das maiores atrações da Etiópia é o Deserto do Dalol, numa das áreas mais inóspitas e quentes do planeta. Para piorar, a região do deserto encontra-se situada perto da perigosa fronteira com a Eritréia, oferece altos riscos de sequestro e assaltos. 

Caxemira: região encravada entre o Paquistão e a Índia, a Caxemira tem muitas belezas naturais com montanhas e paisagens incríveis. Mas este pequeno paraíso sofre com os conflitos ligados às disputas territoriais entre os dois países, e luta por sua independência, criando uma situação política tensa e perigosa. 

Eritréia: localizada no Chifre da África, a Eritréia é um país pouco recomendado para turistas por sua violência e seu regime político ditatorial e fechado. Para quem se arrisca a visitar o país, é melhor ficar longe das fronteiras com os vizinhos da Etiópia, Sudão e Djibouti, altamente militarizadas e perigosas.

Ossétia do Sul: região da Geórgia, país situado entre a Europa e a Ásia, a Ossétia do Sul tem picos nevados, vales verdes e uma vida selvagem abundante. No entanto, a área não é recomendada para os turistas em razão de sua instabilidade política e civil. 

Mindanau: Mindanau poderia ser só mais uma das ilhas paradisíacas das Filipinas, com praias de areia branca, águas cristalinas e lugares incríveis para mergulhar. Mas os conflitos entre militares e insurgentes e os atentados terroristas na segunda maior ilha do país espantam os turistas que poderiam aproveitar o sol no local.  

Fonte: Andrés Bruzzone Comunicação Andrés Bruzzone Comunicação
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade