PUBLICIDADE

Conheça os principais cartões-postais da Ásia

13 dez 2012 15h13
| atualizado às 15h13
ver comentários
Publicidade

Imenso continente, a Ásia tem um grande número de culturas e identidades que atraem turistas do mundo inteiro. Explorando as capitais dos países asiáticos, estes turistas se deparam com cartões-postais, verdadeiros símbolos de suas cidades. Confira aqui os principais de diferentes capitais da Ásia.

Templos, palácios e monumentos estão entre os principais pontos turísticos do continente asiático
Templos, palácios e monumentos estão entre os principais pontos turísticos do continente asiático
Foto: Getty Images

Templo do Céu, China: maior complexo de templos taoístas da China, o Templo do Céu foi construído no ano de 1420, durante a Dinastia Ming. Situada no sul de Pequim, a construção circular com 30 metros de diâmetro e 38 metros de altura é uma das mais belas e simbólicas da capital chinesa.

Palácio de Gyeongbok, Coreia do Sul: o Palácio de Gyeongbok é o mais belo de uma série de palácios erguidos em Seul durante a Dinastia Joseon, que durou de 1392 a 1910. Joia da cidade, Gyeongbok foi construído originalmente em 1394 e foi complementado ao longo do tempo. Com belos jardins e o Museu Nacional da Coreia em seu interior, o palácio é um ponto de passagem indispensável para os turistas.

Torre de Tóquio, Japão: inspirada na Torre Eiffel, a Torre de Tóquio é uma antena de transmissão situada no Parque Shiba. A estrutura foi construída em 1958 e, além de ser um dos principais cartões-postais da cidade, também é um ótimo ponto para curtir um visual panorâmico sobre a capital japonesa desde seus dois mirantes.

Taipei 101, Taiwan: com 508 metros de altura, o arranha-céu Taipei 101 foi inaugurado em 2004 e se transformou no principal cartão-postal da capital de Taiwan. Para chegar do térreo ao andar mais alto (o 101), o elevador mais veloz do mundo demora apenas 37 segundos, a uma velocidade de mais de mil metros por minuto. O topo do prédio, a vista sobre a ilha, com montanhas ao fundo, encanta os turistas.

Ópera de Hanói, Vietnã: erguida entre 1901 e 1911, na época da colonização francesa, a Ópera de Hanói é uma magnífica construção que se destaca na capital do Vietnã. O modelo para a construção do edifício, que recebe até hoje concertos de ópera, música clássica e espetáculos de balé, foi o Palais Garnier de Paris.

Wat Arun, Bangcoc, Tailândia: templo budista situado às margens do rio Chao Phrayra, o Wat Arun é um dos mais bonitos de Bangcoc. A bela torre central de 86 metros coroa este templo do século 17 que compõe um incrível cartão-postal da capital tailandesa.

Monumento Nacional de Jacarta, Indonésia: torre de 132 metros situada no centro praça de Merdeka, no coração de Jacarta, o Monumento Nacional simboliza a luta pela liberdade do país. Construída entre 1961 e 1975, a torre alberga em sua base o Museu de História Nacional da Indonésia.

Torres Petrona, Kuala Lumpur, Malásia: símbolo de Kuala Lumpur, capital da Malásia, as Torres Petronas foram inauguradas em 1996. Projetadas pelo arquiteto argentino César Pelli, as torres de 452 metros de altura figuram hoje entre os arranha-céus mais famosos do planeta.

Monumento a Rizal, Filipinas: situado no Parque Rizal, no centro de Manila, o Monumento a Rizal é o mais importante das Filipinas. O mausoléu foi construído em homenagem ao herói nacional José Rizal e consiste em uma escultura de bronze do mártir, com um obelisco e um pedestal no qual descansam seus restos. O perímetro do monumento é protegido 24 horas por dias por soldados.

Monumento à Independência, Camboja: erguido em 1958, o Monumento à Independência do Camboja é uma bela construção inspirada no formato de uma flor de lótus. Situado no centro de Pnom Penh, capital do país, o monumento comemora a independência obtida da França em 1953.

Palácio de Inverno, Mongólia: local onde viveu o último rei da Mongólia Bogd Khan por 20 anos, o Palácio de Inverno de Ulaanbaatar foi construído entre 1893 e 1903, e é um magnífico vestígio da arquitetura da época. O edifício tem 6 templos e funciona como museu de diferentes presentes recebidos por mandatários internacionais durante a história.

Templo do Lótus, Índia: construído entre 1980 e 1986, o Templo do Lótus leva o formato da flor que é símbolo nacional da Índia, com 26 “pétalas” de mármore rodeadas por nove grandes piscinas.  Ele funciona como Casa de Adoração da Fé Bahai, e é uma belíssima construção que se transformou no principal cartão-postal da capital indiana.

Wat Pha That Luang, Laos: templo budista no coração de Vientiane, capital do Laos, Wat Pha That Luang é uma magnífica estrutura conhecida como “estupa”, folhada a ouro. O templo foi erguido pela primeira vez no século 3, mas passou por diferentes ampliações e reconstruções nos séculos 13, 16, e 20. A torre principal atinge uma altura de 45 metros e é rodeada por 30 torres menores, e o templo é hoje um símbolo nacional do Laos.

Pagode de Shwedagon, Myanmar: situado a 2 km do centro de Yangon, o Pagode de Shwedagon é o mais importante lugar santo do Myanmar, contendo relíquias de quatro antigos Budas. Com uma altura de 112 metros, o templo está inteiramente folhado a ouro, dando um brilho incrível que faz dele um dos mais belos monumentos da Ásia.

Fortaleza de Tashichhodzong, Butão: fortaleza, monastério budista e sede do governo do Butão, Tashichhodzong situa-se ao norte de Thimpu, capital do pequeno país encravado na cordilheira do Himalaia. Originalmente construída em 1216, a fortaleza foi destruída pelo fogo no século 18, e restaurada inteiramente em 1962, transformando-se na principal construção do país.

Estátua de Merlion, Cingapura: símbolo de Cingapura, a estátua de Merlion representa uma criatura mítica com a cabeça de um peixe e a cabeça de um leão. Além da estátua principal, com 8,6 metros de altura, situada no parque Merlion, Cingapura tem outras quatro estátuas similares espalhadas em seu pequeno território.

Mesquita de Jami-Ul-Alfar, Sri Lanka: erguida em 1909 em Colombo, capital do Sri Lanka, a mesquita de Jami-Ul-Alfar é uma magnífica construção com torres listradas em vermelho e branco. Cartão-postal da cidade, a mesquita é um ponto de passagem imperdível para os visitantes.

Arco de Triunfo de Pyongyang, Coreia do Norte: construído para comemorar a resistência da Coreia do Norte frente ao Japão entre 1925 e 1945, o Arco de Triunfo de Pyongyang é um dos principais monumentos da capital da Coreia do Norte. A estrutura é composta de 25.500 blocos de granito e tem uma altura de 60 metros.

Estupa de Boudhanath, Catmandu, Nepal: santuário budista de Catmandu, a Estupa de Boudhanath domina a paisagem da capital do Nepal. Nomeada Patrimônio Mundial da Unesco em 1979, a Estupa é considerada por muitos como uma espécie de “Meca” para o budismo, e é composta por três plataformas principais e diversas torres.

Fonte: Andrés Bruzzone Comunicação Andrés Bruzzone Comunicação
Publicidade
Publicidade