PUBLICIDADE

Sobe para dez o número de mortes por coronavírus em asilos de Piracicaba

Vigilância Sanitária de Piracicaba confirmou nesta segunda-feira a morte de dois idosos do asilo Residencial Bem Viver

5 mai 2020
0comentários
Publicidade

A Vigilância Sanitária de Piracicaba confirmou nesta segunda-feira, 4, a morte de dois idosos do asilo Residencial Bem Viver, em Piracicaba, interior de São Paulo. Com os novos óbitos, sobe para dez o número de idosos residentes em asilos vitimados pelo coronavírus na cidade. As outras oito mortes foram registradas no Lar Betel, entre os dias 23 de abril e 1.o de maio. No total, Piracicaba registra 13 mortes pela covid-19.

Conforme a Vigilância, outros nove idosos e cinco funcionários do Bem Viver testaram positivo para a doença. O primeiro óbito vitimou uma idosa de 80 anos, retirada pela família do asilo já com sintomas. Ela chegou a ficar internada no Hospital Regional de Piracicaba e morreu neste domingo, 3. Já a segunda vítima, uma residente de 85 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira, 4, após ser internada no mesmo hospital.

Dois idosos do asilo Residencial Bem Viver, em Piracicaba, morreram por causa do coronavírus
Dois idosos do asilo Residencial Bem Viver, em Piracicaba, morreram por causa do coronavírus
Foto: Reprodução/Facebook / Estadão

Outros três idosos estão internados em hospitais da cidade. Há ainda dois em isolamento no próprio asilo e cinco que já foram considerados curados. A direção do Bem Viver informou que a Secretaria de Saúde municipal fez os testes rápidos em idosos e funcionários e que medidas de controle do surto foram tomadas em conjunto com autoridades médicas municipais.

No Lar Betel, segundo a Vigilância, foi concluída a aplicação de testes com a constatação de que 41 dos 82 idosos residentes foram infectados pelo coronavírus. Dos 75 funcionários, 25 contraíram o vírus. O Ministério Público estadual abriu procedimento para apurar as 8 mortes na unidade. Além dos 13 óbitos, Piracicaba registra 152 casos confirmados e 169 suspeitos da doença.

Estadão
Publicidade
Publicidade