PUBLICIDADE
Logo do

Diversão

Tiago Abravanel chupa o dedo. Conheça os riscos da prática

Pesquisa publicada pelo jornal inglês Daily Mail aponta que um em cada 10 adultos ainda chupa o dedão ou outro dedo

24 jan 2022 09h12
| atualizado às 09h13
Publicidade
Tiago Abravanel
Tiago Abravanel
Foto: Divulgação

Quem acompanha o BBB22 certamente já percebeu que o participante Tiago Abravanel, neto de Silvio Santos, possui um hábito que pode ser bem nocivo à saúde bucal. Isso porque o brother já foi flagrado chupando o dedo enquanto dormia. Pois saiba que ele não está sozinho: uma pesquisa publicada pelo jornal inglês Daily Mail aponta que um em cada 10 adultos ainda chupa o dedão ou outro dedo.

A postura infantil e pouco aceita socialmente ainda traz riscos à boca mesmo depois de passada a infância. Mas para quem chupa o dedo, o conforto vale a pena. Segundo psicólogos ouvidos pelo jornal, é uma maneira de vivenciar os mesmos sentimentos obtidos com a amamentação quando bebê. O benefício? Uma enxurrada de endorfina no cérebro.

A maioria dos adultos que mantêm o hábito não o pratica em público, no entanto, e também o escondem dos amigos, família e até mesmo dos namorados ou companheiros.

Durante os primeiros seis meses de vida, a criança começa a descobrir seu corpo e ter a capacidade de levar a mão à boca, e é aí que pode surgir a mania de chupar o dedo. Porém, esse hábito, aparentemente inofensivo, pode trazer danos para a saúde bucal tão sérios quanto o uso da chupeta e da mamadeira.

O hábito de chupar a mão ou do dedo costuma se intensificar por volta dos quatro meses. Isso acontece porque a criança tem necessidade de exercitar os músculos da face que muitas vezes, por a mãe ter leite em abundância, não são tão exigidos durante a amamentação e aí acaba “sobrando” uma necessidade a mais de sugar.

Assim que a mãe perceber esse hábito deve tentar interrompê-lo o mais rápido possível. Quanto mais tempo e maior frequência de sucção, maiores serão os problemas bucais. Chupar o dedo altera os músculos da língua e da face, pode levar a alterações de fala, de deglutição e necessidades de correção ortodôntica.

Mas como interromper esse hábito?

As estratégias a serem seguidas pelo odontopediatra podem e devem ser diferentes em cada caso e em cada faixa etária. E elas também diferem quanto à prevenção ou interrupção do hábito. Veja algumas dicas gerais que podem ajudar pais e profissionais nessa batalha.

- A amamentação correta ajuda muito na diminuição da mão na boca, ato que pode iniciar a mania de chupar o dedo.
- Não tente eliminar esse hábito oferecendo a chupeta ou a mamadeira para a criança.
- No caso das crianças que chupam o dedo enquanto dormem, os pais devem ficar atentos para tirar sutilmente a mão dela da boca. Uma boa dica é dar um bichinho que ela possa abraçar ou segurar enquanto dorme.
- Diga à criança que ela deve tirar o dedo da boca para falar com você ou com qualquer outra pessoa alegando que não dá para entender o que ela fala desta forma.
- Motive a criança quando ela não estiver praticando o hábito com passeios, brincadeiras e parabenizações e reforce que ela fica muito mais bonita sem o dedo na boca.
- Distraia a criança com atividades que requerem o uso da fala (como cantar e soletrar) e da mão (como pintura, desenho, modelagem de massa).
- Mostre que pessoas que ela admira não chupam o dedo, sem fazer comparações que humilhem a criança.
- Brinque de pintar as unhas, colar adesivos, amarrar laços de fita ou fazer desenhos com caneta nas mãos.
- E por último, se a criança já for maiorzinha tente explicar, na linguagem dela, que as mãos, mesmo lavadas, possuem bichinhos que podem causar doenças e por isso, colocá-las na boca não é uma boa opção.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Publicidade