PUBLICIDADE

Minoxidil e queda de cabelo: para quem é indicado? Quando e como usar?

Dermatologista responde dúvidas sobre o uso da medicação, uma das mais comuns para queda de cabelo

15 jun 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Mulher assustada com cabelo na escova
Mulher assustada com cabelo na escova
Foto: Hazal Ak / iStock

Falou em cabelo caindo, ouviu minoxidil. O medicamento é um dos mais comuns quando o assunto é tratamento para queda de cabelo, mas isso não significa que se deve usá-lo sem indicação médica.

Como qualquer remédio, o minoxidil tem benefícios, riscos associados ao uso indevido e a forma adequada de administrar no corpo. Diante disso, o Terra procurou o dermatologista Lucas Miranda, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, para tirar dúvidas sobre a medicação que tem feito a cabeça de muita gente.

Logo de início, o médico destaca que o remédio é, sim, eficaz. Mas isso depende da causa do problema. Quedas de cabelo podem ser decorrentes de vários fatores - sejam eles genéticos, como alopecia androgenética, a famosa calvície, ou hormonais, como doença da tireoide, estresse, deficiências nutricionais, doenças autoimunes e efeitos colaterais de tratamentos, a exemplo da quimioterapia.

"Daí a importância de avaliar com o dermatologista pra saber se é ou não adequado para cada caso. É um medicamento que pode ser utilizado para estimular o crescimento capilar em casos de alopecia androgenética, por exemplo, e em outras condições de queda de cabelo não cicatricial. No entanto, só a avaliação médica individualizada irá determinar se é ou não eficaz para o caso", sustenta Lucas Miranda.

Confira abaixo as respostas do médico para algumas questões feitas por quem usa ou já usou minoxidil.

Como a medicação deve ser utilizada?

A medicação deve ser usada conforme orientação médica. Geralmente, o minoxidil é aplicado topicamente, no couro cabeludo, diariamente, em uma quantidade especificada pelo dermatologista. Também recomenda-se massagear suavemente o produto para melhor absorção. O uso contínuo é necessário para obter resultados a longo prazo. Mais uma vez, ressalto: a orientação do dermatologista é essencial.

Dermatologista Lucas Miranda, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dermatologista Lucas Miranda, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Foto: Fabricio Halchuck

Como a medicação age no corpo?

O minoxidil atua como um vasodilatador, ou seja, dilata os vasos sanguíneos, o que pode melhorar a circulação sanguínea no couro cabeludo, também pode ter efeitos diretos sobre as células do folículo piloso, promovendo o crescimento capilar. Isso pode estimular os folículos capilares a crescerem e prolongar a fase de crescimento do cabelo em alguns casos específicos de queda de cabelo, necessitando a avaliação do dermatologista para saber se é ou não adequado para o caso.

Quem faz uso de minoxidil pode tomar sol na cabeça?

É recomendado evitar a exposição excessiva e usar proteção solar adequada para o couro cabeludo.

Pode lavar o cabelo com shampoo e condicionador pouco tempo depois?

Quanto à lavagem do cabelo, geralmente é recomendado esperar pelo menos quatro horas após a aplicação antes de lavar o cabelo. Após esse período, o shampoo e condicionador podem ser utilizados normalmente.

Em quanto tempo de uso os efeitos começam a ser vistos?

Isso pode variar de pessoa para pessoa. Em geral, os resultados podem começar a ser observados após dois a quatro meses de uso regular. No entanto, é importante ressaltar que cada indivíduo pode responder de maneira diferente ao tratamento, e a continuidade do uso é fundamental para manter os benefícios, assim como o acompanhamento criterioso do médico dermatologista.

Homem olhando o cabelo no espelho
Homem olhando o cabelo no espelho
Foto: iStock

O minoxidil também provoca o crescimento dos pelos da sobrancelha?

Em alguns casos, pode ser utilizado para estimular o crescimento dos pelos da sobrancelha. No entanto, é importante ressaltar que o uso deve ser feito sob orientação do dermatologista, pois existem considerações específicas para a aplicação nessa área delicada.

Quais os riscos associados ao uso indevido?

Em primeiro lugar, a pessoa pode estar jogando dinheiro fora, pois o medicamento só vai funcionar para determinados tipos de queda de cabelo. Sem saber o que originou a queda e sem avaliação médica adequada, a chance de que o medicamento simplesmente não faça efeito é grande. 

Há ainda riscos associados ao uso indevido, efeitos colaterais indesejados como irritação do couro cabeludo, vermelhidão, coceira, descamação e crescimento indesejado de pelos em áreas não desejadas do corpo. Portanto, é fundamental consultar com o médico dermatologista e utilizar o medicamento somente sob supervisão profissional adequada.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade