PUBLICIDADE

ES declara situação de emergência por causa do coronavírus

Decreto assinado pelo governador Renato Casagrande prevê medidas para auxiliar no combate e no tratamento do coronavírus

16 mar 2020 06h15
| atualizado às 16h12
ver comentários
Publicidade

VITÓRIA - O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), decretou situação de emergência na saúde pública por causa do coronavírus. O decreto foi publicado no Diário Oficial desta segunda-feira, 16.

Coronavírus é considerado pandemia mundial
Coronavírus é considerado pandemia mundial
Foto: DW / Deutsche Welle

A medida estabelece uma série de medidas sanitárias e administrativas para a prevenção, controle e contenção de riscos decorrentes do surto de coronavírus. Com o decreto, o estado poderá "estabelecer isolamento; quarentena; exames médicos; testes laboratoriais; coleta de amostras clínicas; vacinação e outras medidas profiláticas; tratamentos médicos específicos; estudo ou investigação epidemiológica; exumação, necropsia, cremação e manejo de cadáver; e campanha de comunicação para utilidade pública", informou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), em nota.

"Esse decreto nos permite ainda tomar medidas de requisição de espaço, de serviço e fazer pagamento de indenização a posteriori, se necessário", complementou o governador, em entrevista coletiva.

Ainda de acordo com o governador, serão disponibilizados 120 leitos nas cidades de Vila Velha, Serra e Cariacica, para atender pacientes com coronavírus. Até agora, segundo a Sesa, quatro pessoas foram diagnosticadas com a doença no estado: três na Grande Vitória e uma em Linhares, no norte do estado.

Municípios também decretam situação de emergência

Vitória, capital do Espírito Santo, e Cariacica também decretaram situação de emergência em saúde pública, com as mesmas características do decreto estadual.

Linhares, Sooretama e São Mateus, no norte do estado, suspenderam as aulas nesta semana. Em Vitória, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) afirmou que não haverá suspensão de aulas. Faculdades particulares estão avaliando se mantêm ou não as atividades.

Veja também:

Com Paraguai em quarentena, Ponte da Amizade amanhece lotada:

 

Estadão
Publicidade
Publicidade