PUBLICIDADE

Trombose é mais frequente nas mulheres; veja dicas de prevenção

As doenças venosas como a trombose são mais comuns no público feminino. Saiba como evitar o problema, que pode se tornar grave

8 mar 2023 - 08h00
Compartilhar
Exibir comentários

O Dia Internacional da Mulher é fundamental para destacar a luta por igualdade e pelos direitos das mulheres. Além disso, essa é também uma oportunidade de reforçar a importância dos cuidados com a saúde feminina, principalmente para divulgar as maneiras de prevenir os problemas que costumam ser mais comuns entre elas, como é o caso da trombose.

Trombose é mais frequente nas mulheres; veja dicas de prevenção -
Trombose é mais frequente nas mulheres; veja dicas de prevenção -
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

As mulheres têm maior risco de desenvolver algumas doenças venosas, como a trombose, pois estão mais propensas a problemas genéticos que levam à condição. Isso porque os hormônios femininos contribuem para o desenvolvimento de distúrbios de coagulação sanguínea, além de outros fatores de risco ligados ao gênero, como a gestação, o pós-parto e a presença de varizes.

Trombose 

De acordo com o neurologista Felipe Augusto, "a trombose é o processo de coagulação do sangue dentro de um vaso sanguíneo ou dentro do coração, formando trombos. Pode ser arterial (ocorrer em uma artéria, vaso que leva sangue aos órgãos) ou venosa (ocorrer em uma veia, vaso que retira sangue dos órgãos)". 

Geralmente, a doença atinge os membros inferiores e, devido à sua estrutura sólida e amolecida, um pedaço do coágulo pode se soltar e seguir o trajeto da circulação, causando problemas graves como a embolia pulmonar, que pode ser fatal. Por isso é tão importante trabalhar na prevenção da doença.

A condição pode ocorrer de maneira espontânea. No entanto, geralmente está associada a fatores de risco preexistentes. São eles:

  • Obesidade;
  • Uso de hormônios;
  • Gestação;
  • Pós-parto;
  • Idade;
  • Tabagismo;
  • Pós-cirúrgico;
  • Histórico familiar;
  • Câncer;
  • Doenças crônicas;
  • Doenças agudas;
  • AVC (Acidente Vascular Cerebral), entre outros.

Os sintomas mais comuns da trombose são edema e dor no local afetado. A trombo embolia pulmonar exige ainda mais atenção, pois nela pode haver dor no peito e falta de ar. Já a trombose nas pernas costuma causar dor nas panturrilhas, que podem se espalhar para o pé e tornozelo, ocasionando inchaço, sensação de peso e calor nas pernas, além de vermelhidão na região.

Felizmente, a trombose tem cura. O tratamento consiste em barrar o aumento do coágulo, remover o trombo e prevenir a embolia ou danos definitivos nas válvulas venosas. Em geral, são utilizadas substâncias anticoagulantes que dificultam a formação e crescimento do trombo, impossibilitando o avanço da obstrução das veias e a piora da doença. 

O tempo de tratamento varia de acordo com a gravidade do caso. Por isso, é importante consultar um médico para tratar a trombose desde os primeiros sinais, prevenindo assim o agravamento da doença.

Dicas de prevenção

Especialistas em saúde da Sigvaris Group, empresa suíça focada na produção de meias médicas de compressão, destacam as principais dicas de como prevenir a trombose. Confira:

Beba bastante água: beba de 1,5 a 2 litros por dia de água. Além de manter a pele hidratada, o organismo fica mais saudável.

Evite ficar muito tempo sentado: ao ficar muito tempo na mesma posição, a circulação sanguínea fica prejudicada. Por isso, levante e faça caminhadas, mesmo que em um pequeno espaço.

Use meias de compressão: o uso das meias de compressão é recomendado, pois proporciona alívio das dores e inchaços. A terapia de compressão atua como uma camada muscular que pressiona suavemente as paredes das veias, ao mesmo tempo em que permite o fechamento das válvulas, fazendo com que o fluxo de sangue volte para o seu estado normal. 

Pratique exercícios: praticar exercícios físicos é importante e auxilia muito na nossa saúde, reduzindo o estresse, aumentando a sensação de bem-estar, melhorando a qualidade do sono e reduzindo as dores no corpo.

Evite o consumo de álcool, cigarro e comidas gordurosas: é fundamental evitar o consumo de álcool e tabaco em excesso. Isso vale também para alimentos gordurosos e salgados, que contribuem para a retenção de líquidos, o que pode potencializar inchaços nas pernas.

Fonte: Sigvaris Group.

Saúde em Dia
Compartilhar
Publicidade
Publicidade