0

Doença de Lyme: Conheça infecção transmitida por carrapato e diagnosticada em Justin Bieber

Cansaço, arrepios, febre, dores de cabeça, musculares e nas articulações são principais sintomas

9 jan 2020
15h19
  • separator
  • 0
  • comentários

A doença de Lyme é transmitida pelo carrapato e o primeiro sintoma é uma mancha vermelha que surge na região onde a pessoa foi picada. Esta é considerada a primeira etapa da patologia, que pode ter sinais semelhantes aos de uma gripe, como mal-estar e cansaço. Descoberta em 1976, a doença de Lyme recebeu esse nome por causa da existência de um considerável número de casos na cidade de Lyme, em Connecticut, nos Estados Unidos. De acordo com relatório da Merck and Co. Inc., esta é a infecção transmitida por insetos mais comum em território americano. No Brasil, a doença, que é pouco relatada, foi diagnosticada pela primeira vez em 1992.

O cantor Justin Bieber, que divulgou que apresenta diagnóstico da doença de Lyme. 
O cantor Justin Bieber, que divulgou que apresenta diagnóstico da doença de Lyme.
Foto: Instagram/@justinbieber / Estadão

Nesta quarta-feira, 8, Justin Bieber usou as redes sociais para falar sobre o diagnóstico da doença. "Enquanto muita gente continuava dizendo que Justin Bieber estava um lixo, ou se drogando, essas pessoas falharam em perceber que eu recentemente fui diagnosticado com a doença de Lyme", escreveu. O cantor citou que sua pele, função cerebral, energia e saúde em geral foram afetadas por causa do quadro clínico. Em 2017, Kelly Osbourne, filha de Ozzy Osbourne, também foi diagnosticada. "Ela quase me matou! Vou trazer visibilidade para essa doença, que é grave e a maioria vive com um diagnóstico incorreto", publicou na época.

Embora possa ser tratada, a doença de Lyme apresenta sintomas que causam desconforto extremo ao paciente, como fortes dores de cabeça, rigidez do pescoço e fraqueza. Esses problemas podem durar meses.

Como a doença de Lyme é contraída

As bactérias se instalam no organismo quando um carrapato infectado morde o paciente e fica agarrado ao corpo por mais de 36 horas. No período de três a 32 dias, elas se espalham e podem entrar no sistema linfático e infectar os linfonodos.

Além disso, ao entrar na corrente sanguínea, as bactérias podem atingir outras partes do corpo, como o coração, sistema nervoso e articulações.

Os sintomas da doença de Lyme

Como a maioria das pessoas é infectada quando está ao ar livre, as áreas do corpo mais atingidas pelas picadas são braços e pernas. A mancha surge alguns dias após a lesão e o aspecto pode variar, mas não coça e não dói.

Alguns dos sintomas iniciais, como sensação de mal-estar e cansaço, podem ser confundidos com uma gripe ou outras infecções virais. Há relatos de dores musculares, nas articulações e rigidez na região do pescoço.

Em casos mais graves, quando a bactéria atinge o coração, pode haver inflamação do tecido cardíaco (miocardite), com dor torácica, arritmias e até desmaios.

Doença de Lyme no Brasil

Embora os casos da doença estejam concentrados em certas áreas endêmicas, os focos da doença de Lyme estão nos Estados Unidos, Europa e Ásia. No Brasil, os estados de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Amazonas têm relatado casos isolados, segundo dados do Ministério da Saúde.

Por ser doença rara em território brasileiro, a notificação e investigação dos casos é obrigatória. Segundo o próprio documento do governo federal, as medidas para redução das populações de carrapatos em animais não têm sido efetivas. Não há indicação de isolamento dos pacientes.

Diagnóstico, tratamento e prevenção

O diagnóstico da doença de Lyme é feito por exame clínico, com avaliação dos sintomas e aspecto da pele após a picada, exame de sangue ou de líquido cefalorraquidiano, obtido por punção lombar.

Por se tratar de bactéria transmitida por carrapato, o tratamento é feito basicamente com antibióticos. Para a prevenção, a pessoa pode evitar áreas com grande concentração de carrapato ou, ao ser exposta ao animal, examinar cuidadosamente o corpo inteiro.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade