PUBLICIDADE

Calor forte aumenta risco de AVC; veja como prevenir

O risco é ainda maior para os idosos, que naturalmente têm mais doenças cardiovasculares. Veja como prevenir o AVC

18 nov 2023 - 12h01
(atualizado em 20/11/2023 às 14h16)
Compartilhar
Exibir comentários

O Brasil está passando por uma forte onda de calor, o que tem colocado em risco a saúde de toda a população, especialmente das crianças e dos idosos. O perigo é ainda maior para o segundo grupo, que é mais suscetível a doenças cardiovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC), por exemplo. 

Calor forte aumenta risco de AVC; veja como prevenir -
Calor forte aumenta risco de AVC; veja como prevenir -
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

De acordo com o neurocirurgião Dr. Victor Hugo Espíndola, isso ocorre por conta da desidratação, que torna o sangue mais espesso e, com isso, aumenta os fatores de coagulação do sangue, provocando um AVC.

Segundo o médico, normalmente a população mais idosa é mais suscetível à desidratação. "Por isso, a gente tem que tomar muito cuidado dessa faixa etária e orientar bem e hidratar esses pacientes", alerta.

Reconhecendo um AVC

No caso de um acidente vascular cerebral, a urgência em atender o paciente é imprescindível. Portanto, é fundamental reconhecer um episódio assim que ele ocorre, para prestar socorro o quanto antes. Nesse sentido, Victor Hugo recomenda o uso do acrônimo SAMU, em que:

  • S indica sorriso: é preciso verificar se há uma assimetria facial no paciente, como a boca torta;
  • A indica abraço: recomenda-se pedir para o paciente levantar os dois braços a fim de identificar se há diferença nas forças entre um e outro;
  • M indica música: peça para o paciente cantar uma música, recitar um poema ou conversar, e identifique se há alguma dificuldade cognitiva;
  • U indica urgência: na presença de um ou mais dos sintomas anteriores, é preciso levar o paciente com urgência até a única de saúde mais próxima.

Prevenção

Considerando que o principal fator de risco para o AVC durante as altas temperaturas é a desidratação, o neurocirurgião recomenda a ingestão de bastante água. A nutricionista e supervisora de Nutrição e Dietética do São Cristóvão Saúde, Cintya Bassi, aponta os principais sinais de desidratação:

  1. Sede exagerada;
  2. Boca e pele seca;
  3. Olhos fundos;
  4. Diminuição da sudorese;
  5. Cansaço;
  6. Dor de cabeça;
  7. Tontura.

Cintya lembra que o ideal é se hidratar logo ao acordar, com pelo menos 500 ml de água. "Durante o sono, nosso organismo consome muita água para continuar funcionando. Por isso, já acordamos desidratados, com necessidade de reposição", justifica.

Mas, para quem não possui o hábito de beber água e deseja aumentar o consumo, uma boa dica é apostar em água saborizada. "Como os ingredientes utilizados são naturais, todos têm seus benefícios, cada um pode escolher de acordo com sua criatividade e preferências", indica a nutricionista. 

A profissional recomenda ainda acrescentar itens como morango, mirtilos, pedaços de melancia, pepino com limão, limão e gengibre, hortelã, abacaxi, entre muitas outras opções. Além disso, água com gás, água de coco, sucos e chás também podem auxiliar na hidratação diária. 

O Dr. Victor Hugo acrescenta às recomendações evitar se expor ao sol de maneira direta nesta época de calor intenso, principalmente nos períodos mais quentes do dia - geralmente entre 11h e 16h. 

Saúde em Dia
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade