PUBLICIDADE

Alergia emocional existe? Entenda a reação alérgica de Virginia e Boo Unzueta à ansiedade

Psiquiatra e dermatologista explicam a reação no corpo e indicam como diagnosticar o problema

9 mar 2023 - 12h10
(atualizado às 14h03)
Compartilhar
Exibir comentários

Depoimentos recentes de duas influenciadoras chamaram atenção para mais uma expressão da ansiedade: reações alérgicas. Trata-se de uma reação do corpo a níveis de estresse, ansiedade ou síndrome do pânico.

"A pele tem várias terminações nervosas, por isso que ela é mais atingida. Quando a gente está passando por estresse e turbilhão de emoções, ansiedade, a gente libera muitos hormônios, um desses o cortisol, que faz com que o sistema imunológico solte na pele catecolaminas que vão fazer uma reação somatória na pele, levando à reação alérgica", explica a psiquiatra Jaqueline Bifano, em entrevista ao Terra.

O dermatologista Lucas Miranda, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), complementa ao pontuar que "alergia emocional" não é um termo que existe na Medicina. Em termos técnicos, o que costuma ocorrer, como ele esclarece, é o agravamento de alergias ou lesões cutâneas em decorrência do estresse.

"Alergia é um termo que se refere a uma reação imunológica exagerada a algum produto que entra em contato com aquela pele. O estresse, na verdade, pode piorar situações cutâneas como psoríase, dermatite atópica e até algumas causas de alergia", detalha o dermatologista. Segundo ele, essas lesões geralmente são placas avermelhadas, com prurido, coceira e que se disseminam na pele.

Os termos técnicos explicam os relatos de Virginia Fonseca e Boo Unzueta. O caso da dona da WePink veio à tona ainda em dezembro. Ao ser entrevistada no PodCats, a influenciadora revelou que a reação alérgica se manifestou antes dela participar do People's Choice Awards 2022, em Los Angeles.

Virginia Boo Unzueta falam sobre alergia provocada pelo emocional
Virginia Boo Unzueta falam sobre alergia provocada pelo emocional
Foto: Reprodução/Instagram@virginia@boounzueta

"Me deu até alergia emocional. Meu cotovelo ficou um uó", disse Virginia, pontuando se tratar de um quadro de ansiedade. Em um post no Instagram, ela também falou sobre o assunto, ressaltando que "estava nervosa" durante o evento - na ocasião, ela recebeu o prêmio de Influenciadora Brasileira do Ano.

Mais recentemente, na última semana, foi a vez de Boo contar sua história no PodDelas. "Essa semana foi bem tensa pra mim, fui furtada, aí tive crise de pânico, tive muita coisa, minha ansiedade atacou muito e meu corpo falou comigo. (...) Tive uma crise alérgica emocional, eu fiquei toda empipocada em relevo", detalhou, apontando para os braços, região do corpo afetada com a alergia.

Mas como saber se a reação alérgica tem fundo emocional?

Para a psiquiatra Jaqueline Bifano, quando o anti-alérgico não funciona e o paciente passa por momentos de instabilidade emocional, vale a pena encaminhá-lo para um psicólogo ou psiquiatra. Esse profissional vai investigar as causas emocionais, a fim de tratá-las.

O dermatologista também aponta que esse é o caminho, uma vez que a anamnese completa e todos os exames não indicaram a presença de um agente infeccioso. “A gente associa uma doença a fatores emocionais quando todas as outras possíveis causas forem excluídas”, frisa.

Quanto ao acompanhamento psicológico e/ ou psiquiátrico, a duração e o método do tratamento vão variar de acordo com o problema diagnosticado. Jaqueline exemplifica: no caso citado por Virginia, que a ansiedade foi gerada por um evento, ela se recuperou rapidamente após o episódio; quando a origem do problema está vinculada a quadros mais graves como depressão ou ansiedade generalizada, a reação alérgica pode persistir por mais tempo.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade