PUBLICIDADE

5 dicas para evitar lesões na articulação do joelho

Ortopedista lista orientações para evitar o surgimento de lesões no joelho e o desenvolvimento de doenças degenerativas como a artrose

17 jun 2024 - 11h54
(atualizado em 18/6/2024 às 00h57)
Compartilhar
Exibir comentários

Responsável pela sustentação do corpo e pela absorção de impacto, articulação do joelho é uma região complexa e muito demandada durante a movimentação. Por esse motivo, é muito comum que ocorram lesões não apenas com atletas, como muitos acreditam, mas com qualquer pessoa.

Veja ações que minimizam o risco de lesões na articulação do joelho
Veja ações que minimizam o risco de lesões na articulação do joelho
Foto: jcomp/Freepik / Boa Forma

Da mesma forma, as doenças da articulação do joelho também não estão restritas à terceira idade, apesar de serem realmente mais comuns nessa faixa etária. A artrose, por exemplo, pode sim afetar pessoas mais jovens.

"Na maioria dos casos, isso ocorre por trauma e sobrecarga excessiva nas articulações, geradas pela obesidade, prática exagerada ou descuido nas atividades físicas", explica Marcos Cortelazo, ortopedista especialista em joelho e traumatologia esportiva, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

Segundo o profissional, estar ciente dos riscos de lesões é necessário para alertar as pessoas sobre os cuidados com os joelhos, a fim de mantê-los saudáveis ao longo de toda a vida. A seguir, ele lista algumas orientações importantes para manter essa região saudável.

Como prevenir lesões na articulação do joelho

Controle o peso

Evitar o sobrepeso é fundamental para garantir joelhos saudáveis, pois o acúmulo de gordura corporal gera uma sobrecarga sobre as articulações, com um trauma repetitivo e excessivo da cartilagem, levando a sua degeneração. "Além disso, o sobrepeso e a obesidade inflamam o corpo e aumentam a propensão para o desenvolvimento de problemas, como artrite e artrose, além de agravar as dores", diz o ortopedista, que explica que essa situação é chamada de degeneração da cartilagem articular, de causa principalmente mecânica.

"Hoje, sabemos que essa é uma das maiores preocupações na área da ortopedia e reumatologia, possuindo relação direta com a osteoartrose", explica o médico. Além disso, com a obesidade, há um risco aumentado de condromalácia patelar, lesão da cartilagem e lesão meniscal degenerativa.

Adeque a alimentação

De acordo com o profissional, uma alimentação desbalanceada pode favorecer dores nos joelhos de forma indireta através de três mecanismos básicos: ganho de peso com sobrecarga articular; ingestão de alimentos com potencial inflamatório; e baixa ingestão de proteínas com diminuição de massa muscular, o que reduz a proteção das articulações.

"É importante evitar o consumo excessivo de açúcar, sal e gordura, que podem favorecer o ganho de peso. Também reduza o consumo de alimentos inflamatórios, como leite e adoçantes", aconselha o especialista. E completa: "Em contrapartida, certifique-se de consumir quantidades adequadas de proteínas, pois são à base da construção do tecido muscular. E a manutenção e incremento da massa muscular é importante para sustentação do corpo e equilíbrio biomecânico das articulações, o que permite movimentação adequada com proteção das articulações".

Evite o consumo excessivo de bebidas alcóolicas

A ingestão exagerada de bebidas alcoólicas é um fator de risco para o surgimento de dores articulares. "O álcool pode causar uma elevação nos níveis de ácido úrico no sangue, o que chamamos de hiperuricemia. Essa condição leva a uma inflamação das articulações e, quando não tratada, pode ocasionar lesões da cartilagem articular, que evoluem para a artrose", diz o médico.

Maneire no uso de saltos

Durante o uso de sapatos com salto alto, o joelho é colocado em uma posição desconfortável que exige flexão contínua, levando ao desgaste da cartilagem patelar e, consequentemente, a uma condição conhecida como condromalácia, que é caracterizada pelo amolecimento da cartilagem da rotula ou patela. "Além disso, o uso contínuo do calçado pode fazer com que outras estruturas do joelho, como o fêmur e a tíbia, também sofram com desgastes, levando assim à artrose", alerta o ortopedista.

Ele explica que os danos ocorrem de maneira mais grave em quem costuma trabalhar e caminhar muito com saltos. "A melhor solução então é usar esse tipo de calçado de maneira esporádica e preferir sapatos nem muito planos e nem muito altos, em uma altura que não exceda a margem de 2,5cm a 5cm", recomenda.

Pratique exercícios

A prática regular de atividade física figura entre os hábitos mais benéficos para a saúde do joelho. "Os exercícios beneficiam os joelhos de três maneiras básicas: ajudam a manutenção do peso corporal; fortalecem a musculatura, exercendo um efeito de proteção das articulações através da melhora do desempenho biomecânico e da sustentação do esqueleto; e ativam a circulação do líquido sinovial, que nutre a cartilagem através do processo de embebição", pontua o médico.

Mas, antes de praticar qualquer tipo de atividade física, é importante que você procure um profissional capacitado para orientá-lo sobre como realizar os exercícios físicos corretamente. "A prática de atividade física sem o devido acompanhamento profissional pode acarretar em sobrecarga, repetição excessiva e realização incorreta dos exercícios, que estão entre as principais causas de lesões do joelho."

Preste atenção nas dores no joelho

Cortelazo explica que, no geral, dores que ocorrem durante ou após uma atividade e desaparecem espontaneamente podem ser consideradas dores pós-esforço e provavelmente não são sinal de gravidade. No entanto, dores que aparecem durante a atividade e impedem sua realização, assim como aquelas que surgem após e não regridem espontaneamente, geralmente são sinal de algo mais grave. "Nesses casos, é fundamental buscar um médico especialista para passar por uma avaliação e receber o diagnóstico e tratamento adequado", completa.

Boa Forma
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade