PUBLICIDADE

10 hábitos que atrapalham o processo de emagrecimento

Veja quais ações você deve evitar para garantir um bom resultado na perda de peso e melhorar qualidade de vida

26 out 2023 - 16h01
Compartilhar
Exibir comentários

A busca por um peso saudável é uma jornada que vai muito além da estética; é uma necessidade fundamental para a promoção da saúde e do bem-estar a longo prazo. O excesso de peso e a obesidade estão ligados a uma série de problemas crônicos, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, hipertensão, apneia do sono e até mesmo certos tipos de câncer.

Uma dieta rica em alimentos processados, açúcares refinados e gorduras saturadas é prejudicial à saúde e pode levar ao ganho de peso
Uma dieta rica em alimentos processados, açúcares refinados e gorduras saturadas é prejudicial à saúde e pode levar ao ganho de peso
Foto: Cast Of Thousands | Shutterstock / Portal EdiCase

Portanto, manter um peso adequado não é apenas uma questão de se sentir bem em frente ao espelho, mas também uma estratégia crucial para prevenir e controlar doenças. Nesse contexto, a adoção de hábitos saudáveis desempenha um papel central no processo de emagrecimento.

Estes hábitos não apenas auxiliam na perda de peso, mas também promovem a saúde global do organismo, proporcionando uma melhor qualidade de vida. Por isso, a seguir, confira 10 hábitos que atrapalham o processo de emagrecimento!

1. Consumo excessivo de calorias

Consumir mais calorias do que o seu corpo queima resultará no ganho de peso, pois o excesso de calorias é armazenado como gordura. Para emagrecer, é essencial criar um déficit calórico, ingerindo menos calorias do que você gasta.

"Nosso corpo é uma máquina perfeita e programada para sobreviver. Desta forma, tudo o que comemos e que não será utilizado pelo organismo, é armazenado em forma de gordura, nossa reserva de energia. O importante é saber a quantidade correta e adequada para suas necessidades de modo a não ter excesso ou deficiência", explica a nutricionista Kelly Balieiro. 

2. Ingerir líquidos com as refeições

Beber água, suco, refrigerante ou qualquer outro tipo de líquido com as refeições pode prejudicar o emagrecimento. De acordo com Kelly Balieiro, existem dois motivos para isso:

"O primeiro é que o excesso de líquidos junto aos alimentos prejudica a ação do suco gástrico no processo de digestão dos alimentos. O segundo motivo é que nosso estômago é um músculo, e quanto maior a quantidade de líquidos/alimentos em seu interior, maior será o seu tamanho e necessidade de alimentos para que o indivíduo se sinta saciado", esclarece. 

3. Pular refeições

Pular refeições pode parecer uma maneira de economizar calorias, mas isso pode diminuir seu metabolismo e levar a episódios de fome extrema, resultando em excessos mais tarde. É importante fazer refeições regulares para manter seu metabolismo funcionando de maneira eficaz.

"Quando ficamos um longo período sem comer, sentimos mais fome e nosso organismo armazena mais calorias do que quando consumimos de forma fracionada", explica a nutricionista Flávia da Silva Santos.

4. Consumo de alimentos altamente processados

Uma dieta rica em alimentos processados, açúcares refinados e gorduras saturadas pode ser prejudicial à saúde. Esses alimentos geralmente são densos em calorias, pobres em nutrientes e podem levar ao ganho de peso. Opte por uma dieta equilibrada, com foco em alimentos frescos e naturais.

"Doces concentrados, frituras, carnes com gordura aparente, creme de leite e chantili são alguns exemplos de alimentos que devem ser evitados", diz Kelly Balieiro.

5. Não beber água suficiente

A desidratação pode ser confundida com fome, levando a excessos. Beber água suficiente é fundamental para o sucesso na perda de peso, além de manter o corpo hidratado e ajudar na digestão.

"A falta de água pode trazer diversos malefícios que impactam diretamente nossa rotina, como a piora da memória e do raciocínio", afirma Matheus Motta, nutricionista e responsável pelo VigilantesdoPeso no Brasil, programa de perda de peso.

A falta de sono pode afetar negativamente os hormônios que regulam o apetite
A falta de sono pode afetar negativamente os hormônios que regulam o apetite
Foto: Ruslan Harutyunov | Shutterstock / Portal EdiCase

6. Falta de sono

A falta de sono afeta negativamente os hormônios que regulam o apetite, como a leptina e a grelina. Isso pode levar a desejos por alimentos ricos em calorias e a escolhas alimentares ruins.

"Além disso, [a falta de sono] aumenta os hormônios que são responsáveis por estimular o centro da fome, gerando compulsão alimentar, que acarreta maior acúmulo de gordura e sobrepeso", diz a Dra. Deborah Beranger, endocrinologia.

7. Estresse excessivo

O estresse crônico pode levar ao "comer emocional": as pessoas recorrem à comida como uma forma de lidar com o estresse. Isso pode levar ao consumo excessivo e a decisões alimentares pouco saudáveis. Encontrar maneiras de lidar com o estresse, como a meditação ou o exercício físico, é crucial para o emagrecimento.

8. Falta de exercício

A atividade física é fundamental para queimar calorias e manter um metabolismo saudável. A falta dela pode levar a um déficit calórico menor, o que dificulta a perda de peso. "É interessante dar preferência aos exercícios aeróbicos que enfatizem mais a queima de gordura corporal como um todo, por acelerar mais rapidamente as vias metabólicas", comenta Amanda Aguiar, profissional de Educação Física e fisioterapeuta.

9. Consumo excessivo de álcool

O álcool é rico em calorias e, quando consumido em excesso, pode adicionar muitas calorias vazias à sua dieta. Além disso, a substância pode potencializar a retenção de líquidos.

"Como resultado, ficamos mais inchados e a pressão sobre as veias e artérias aumenta, o que pode contribuir para o surgimento de problemas vasculares como varizes e trombose", destaca a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

10. Não monitorar o que se come

Comer sem prestar atenção à quantidade que você está comendo pode levar ao consumo de calorias em excesso. Manter um registro do que você ingere, como um diário alimentar, pode ajudá-lo a identificar padrões e a controlar o consumo calórico.

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade