PUBLICIDADE

Proteína em excesso prejudica a saúde? Existe dose recomendada? Entenda

Outro fato que depende do estado e objetivo de uma pessoa

10 out 2023 - 10h01
(atualizado às 15h49)
Compartilhar
Exibir comentários

As proteínas são criadas por aminoácidos "conectados" entre si, união que se dá por meio das ligações peptídicas. Dessa forma, são úteis para os seres humanos desde a formação das estruturas das células até a fase de imunidade. No entanto, o seu consumo gera dúvidas, principalmente para quem preza por uma vida saudável, por exemplo: existe recomendação de consumo diário de proteína?

Recomendação de consumo diário de proteína - Shutterstock
Recomendação de consumo diário de proteína - Shutterstock
Foto: Sport Life

Não há consenso sobre a recomendação de consumo diário de proteína

"Na verdade, não existe quantidade ideal de proteínas. Depende do objetivo e do quadro de uma pessoa. Por exemplo: se é uma pessoa hospitalizada, que está em estado de sobrevivência, nós temos como referência 0,8g por quilo por dia. Agora se é uma pessoa, que visa o emagrecimento e faz exercício físico, nós podemos usar de 1,8 a 3g por quilo e dependendo se a pessoa faz utilização de recurso hormonal ou não", afirma com exclusividade para o Sport Life o nutricionista esportivo Henrique Spessotto.

Assim, o que prevalece é a referência daquilo que se há em um grama por quilo, o que geralmente é que uma pessoa consome para se manter-se saudável. Orientação que vale para quem quer ganhar massa magra ou sonha com algum trabalho hipertrófico.

Outro consenso é de que vale a pena manter uma dose adequada do nutriente m todas as refeições, embora um profissional deva sempre levar em consideração a condição clínica de um paciente antes de orientá-lo.

"Dia por dia é importante em todas as refeições ter uma certa quantidade de proteína porque dá saciedade. Então, se uma pessoa aumenta a saciedade, vai ficar mais tempo sem fome e em contrapartida ela também é termogênica", garante Henrique.

Antes, durante ou depois do treino?

A proteína em si é o bastante para realizar a síntese, processo responsável pela criação do anabolismo da pessoa. Esse fato denota que após o treino ela é fundamental.

"Esse nutriente é melhor depois do treino. Há estudos que mostram a síntese pós treino. Se uma pessoa consome proteínas sem carboidratos, sem gordura, sem outro macronutriente tem a mesma quantidade de síntese proteica do que se ela consumir com carboidrato ou com gordura", complementa Spessotto.

O papel da suplementação

"Há suplementos de proteínas vegetais. Tem proteína do arroz, proteína da soja, proteína da ervilha e todos em formas de suplemento. Então, se uma pessoa tem dificuldade ao longo do dia de bater a meta de proteína e é vegetariana, vegana, nós conseguimos por meio da suplementação conseguir bater essa meta diária. Até hoje em dia ficou fácil de sustentar um estilo de vida veganismo ou vegetarianismo por conta dessa opção, que a indústria trouxe de suplementação", detalha o nutricionista.

Os cuidados com o consumo de proteínas

O excesso de proteína ocasiona problemas renais e tudo depende caso um sujeito cumpra com uma hemodiálise. Paralelamente, há o reforço de que as pessoas precisam de proteínas até em pequenas quantidades para o bom funcionamento da estrutura celular.

"Às vezes, tem algumas pessoas que querem emagrecer, cortam o seu carboidrato, começa a comer muita proteína e aí acaba que isso pode desenvolver algum problema renal conforme for passando o tempo. Então, tem que tomar cuidado. De modo geral, sem proteína não há órgão, osso, cabelo e não tem pele. Tudo é proteína. Todas as estruturas celulares do nosso corpo também são e não existe vida sem proteína", encerra o nutricionista esportivo Henrique Spessotto.

Sport Life
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade