PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

4 alimentos que ajudam a melhorar a memória

Ovo, abacate e peixes são alguns dos alimentos que estão nessa lista

3 mai 2023 - 14h12
(atualizado às 16h34)
Compartilhar
Exibir comentários
Entenda como aquilo que comemos pode impactar na saúde da nossa mente |
Entenda como aquilo que comemos pode impactar na saúde da nossa mente |
Foto: freepik/Freepik / Boa Forma

Você sente que anda esquecido? Está com dificuldades para se lembrar de compromissos importantes, de onde guardou as coisas e das suas obrigações profissionais e pessoais? Aqui vai uma dica: faça algumas mudanças na sua alimentação. Afinal, existe uma relação direta entre os nossos hábitos alimentares e a nossa função cognitiva.

"Vale lembrar que não há conclusões científicas de que determinados alimentos isolados realmente ajudam a melhorar a memória, o foco ou a concentração. A principal recomendação nutricional é ter um padrão alimentar saudável todos os dias e manter uma alimentação equilibrada e variada", esclarece o nutricionista Lucas de Albú.

Segundo o especialista, o cérebro necessita de nutrientes para a sua formação e para o funcionamento correto, e cada nutriente cumpre um papel diferente dentro da sua estrutura. Entenda:

  • Carboidrato: A privação de carboidratos pode comprometer profundamente o desempenho cognitivo, pois causa falta de energia, fadiga, inquietação e problemas de atenção. A recomendação é consumir carboidratos completos. O ideal é que haja um consumo de carboidratos complexos. "Esse macronutriente contribui para a memória a curto prazo, para o processamento rápido de informações e para as habilidades matemáticas", diz Lucas.
  • Proteína: Participa das conexões das redes neuronais, favorecendo a construção de novas sinapses, processo fundamental para a comunicação entre os neurônios.
  • Gordura trans: É preciso ter cautela com o consumo desse nutriente, pois ele pode provocar efeitos negativos no desempenho cerebral, aumentando o risco de déficit de atenção, a ansiedade e a depressão.
  • Ômega 6 e 3: "O ômega 6 pode influenciar na habilidade dos neurônios em utilizar a glicose, auxiliando a concentração. Baixos níveis de ômega 3 podem causar problemas no aprendizado e na motivação".
  • Vitaminas do complexo B: Quando nosso organismo está com níveis baixos de vitaminas do complexo B, podemos apresentar dificuldades de concentração, nervosismo, cansaço e esquecimentos.
 

A seguir, Lucas elenca alguns alimentos que podem ajudar a melhorar a memória:

Vegetais

Por serem ricas em ácido fólico (vitamina B9), que cuida da massa cinzenta e atua na prevenção de doenças cerebrais, como demência e Alzheimer, as hortaliças devem fazer parte das refeições para manter as funções cognitivas sempre em ordem. Espinafre, couve, rúcula e brócolis são ótimas opções.

Abacate

O abacate é fonte de uma série de compostos essenciais para os neurônios, entre eles, vitaminas B6, B12, C e E, selênio, luteína e colina. Além disso, também conta com gordura monoinsaturada , que protege as artérias, garantindo um bom fluxo sanguíneo para o cérebro.

"Alguns outros que têm funções parecidas são: azeite de oliva, amêndoa , amendoim, castanhas, gergelim e óleo de canola", afirma o nutricionista.

Peixes

Devido ao fato de serem ricos em ômega 3 , um componente que desempenha um papel importante na comunicação entre as células nervosas, os peixes são alimentos que podem trazer várias vantagens para a saúde da mente. Inclua, por exemplo, salmão, atum, sardinha, arenque e cavalinha na sua dieta.

Ovo

Além de ser uma excelente fonte de proteína, o ovo pode favorecer nas funções cognitivas . Isso porque a sua gema, especificamente, tem colina, uma das vitaminas do complexo B.

A DIETA "MIND"

Se o seu objetivo é melhorar a memória , também pode ser interessante optar pela dieta "Mind". As grandes vantagens dessa dieta são: desenvolvimento da fluidez da ligação entre os neurônios, aumento da plasticidade cerebral e diminuição da inflamação e da oxidação.

"Ela prevê o consumo de pelo menos três porções de grãos integrais (aveia, centeio, grão de bico, feijão, ervilha, quinoa, entre outros), uma porção de salada e uma porção de vegetal diariamente, junto com um copo de vinho. Os lanches devem incluir frequentemente oleaginosas , isto é, a turma das nozes, castanhas e amêndoas. Peixes são indicados, no mínimo, uma vez na semana, enquanto as aves são bem-vindas pelo menos duas vezes por semana", destaca.

Como conta Lucas, carne vermelha, manteiga, margarina, queijos, doces, frituras e fast-food devem ser evitados. Porém, ele ressalta que não é necessário cortar completamente esses itens da sua lista. "O ideal é consumi-los com pouca frequência. Converse com o seu médico ou nutricionista. ", finaliza.

 
 
Boa Forma
Compartilhar
Publicidade
Publicidade