PUBLICIDADE

Cantina italiana sugere pratos alternativos sem tomate

Compartilhar
Exibir comentários
<p>Sobrecoxa desossada ao molho marsala, com purê de maçã e batata souté</p>
Sobrecoxa desossada ao molho marsala, com purê de maçã e batata souté
Foto: Facebook / Reprodução

“A culinária italiana é muito maior do que o tomate”. É dessa forma que Augusto Mello, proprietário da cantina Nello’s, em funcionamento desde 1974 em São Paulo, explica como os clientes encararam a decisão de o restaurante boicotar pratos com tomate após alta nos preços do alimento. De acordo com a cantina, a caixa de tomates de 20 kg, que antes custava entre R$ 20 e R$ 30, está sendo vendida a R$ 150, o que torna inaceitável a compra do produto.

“Já estamos sem comprar tomate há uma semana, mas só agora isso caiu nas redes sociais.  Estou administrando meu estoque com um cardápio alternativo. Assim você induz as pessoas a provarem pratos que têm um sabor tão bom quanto, mas que não levam tomate. Guardei tomate apenas para os clientes que fazem questão. Então meu estoque que duraria até semana passada, está durando até hoje. Resta uma caixa”, explicou ele.

A mudança começou com o cardápio de Páscoa, que apostou em pratos criativos, como filé mignon ao molho de uvas e espaguete com camarão. As novas opções fizeram sucesso. Mesmo sendo tradição na culinária italiana, Augusto garante que os consumidores não sentiram falta do ingrediente. “Preferimos ficar sem a mercadoria do que repassar um aumento abusivo aos nossos clientes. Tomate tem preço histórico de R$ 4 o kg, você vai pagar R$ 12? Não! Espera até cair o preço”, contestou.

Em um protesto na página da Nello’s no Facebook, Augusto disse que o governo insiste que as empresas troquem um pouco de inflação para ter crescimento, mas que o restaurante discorda "veementemente desta visão". A cantina se mobiliza e pede que os clientes evitem comprar tomate no varejo a qualquer preço superior a R$ 6 o kg.

Sobre uma alternativa para o produto, ele explica que não acha justo com os consumidores e que em nenhum momento pensou em comprar tomate de qualidade inferior para incluir nos pratos do cardápio.

“Tivemos um problema parecido com isso há cinco anos com a carne bovina que ficou muito cara. Imediatamente tiramos a carne do cardápio. É simples. É uma coisa de economia popular. As donas de casa fazem e nós fazemos também. Só vou comprar tomate quando o preço estiver justo. Espero que amanhã já esteja razoável”, apostou o proprietário.

Para quem gosta de comida italiana e está em dúvida sobre pratos alternativos que não levam tomate, Augusto sugeriu cinco opções a pedido do Terra:

1. Sobrecoxa desossada ao molho marsala com batata souté

2. Filé à milanesa com batata frita

3. Lula frita à doré com salada de alface

4. Espaguete à carbonara, ao molho pesto ou ao molho funghi

5. Truta no alumínio com legumes na chapa

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade