0

Carne vegetal: 57% dos brasileiros estão dispostos a reduzir consumo animal

As buscas no Google por 'carne vegetal' no Brasil cresceram 150% entre 2015 e 2019

17 dez 2019
11h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As buscas pelo termo 'carne vegetal' aumentaram 150% entre os brasileiros de 2015 a 2019. As informações foram divulgadas pelo Google nesta terça-feira, 17.

Busca pelo termo 'carne vegetal' no Google aumentou 150% em cinco anos.
Busca pelo termo 'carne vegetal' no Google aumentou 150% em cinco anos.
Foto: Divulgação/Fazenda Futuro / Estadão

A plataforma ressalta que a expressão é nove vezes mais buscada no Brasil do que as do 'plant based', termo usado para diferenciais produtos de origem não-animal em países onde esse mercado já está bem desenvolvido, como os Estados Unidos.

O Google realizou uma pesquisa com 4.335 internautas de todo o País em novembro de 2019 por meio da ferramenta Google Survey. A pesquisa mostra que 16% dos brasileiros já se declaram vegetariano ou vegano.

A pesquisa revela também que 57% dos brasileiros entrevistados afirmam estar dispostos a reduzir o consumo de carne pelo menos uma vez por semana.

Entre o público que se mostra favorável a experimentar ao menos um dia da semana sem carne, 39% fazem parte dos chamados 'millennials', que nasceram entre 1981 e 1996.

Com a chegada de novos produtos feitos de carne vegetal no mercado brasileiro, espera-se um crescimento ainda maior. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde a categoria está melhor estabelecida e apresenta diversidade de produtos oferecidos, as buscas por 'plant based' são oito vezes maiores do que no Brasil.

"A oportunidade é gigante e a indústria de alimentos deve acompanhar essa tendência com inovações igualmente grandes para conseguir endereçá-la", explica Marco Bebiano, diretor de negócios para Bens de Consumo, Tecnologia e Governo do Google Brasil.

Atualmente, as buscas sobre 'carne vegetal' no Google se dividem em questões ligadas à conhecimento (37%), como terminologias e conceitos, produtos segmentados (36%) para a substituição direta da proteína animal, receitas (23%) adaptadas ao universo sem carne e lugares especializados (4%), como restaurantes, padarias, açougue e mercados.

No campo do conhecimento, entre as dúvidas mais buscadas no Google pelos brasileiros estão: "O que é carne vegetal?", "Como fazer receita prática vegana?", "O que é plant based?", "O que eu como em um dia vegano?" e "O que é flexitarianismo?".

Popularização da carne vegetal no Brasil

Algumas redes de fast food começaram a anunciar a comercialização de hambúrguer vegetal no cardápio. No segundo semestre deste ano, personalidades brasileiras se manifestaram sobre o assunto, o que talvez tenha chamado atenção e despertado a curiosidade do público.

Em setembro, Paola Carosella criticou o hambúrguer vegetal. "Se quer comer, coma plantas com gosto de plantas", declarou a chef no Twitter ao dizer que o alimento tinha muitos componentes químicos para deixar semelhante ao sabor e textura da carne.

Após a repercussão, Paola foi defendida pela colega Rita Lobo. "Tem gente que enxerga no comentário dela crítica ao veganismo. É muita cegueira", disse a culinarista.

Em outubro, Ana Maria Braga fez questão de cozinhar e experimentar hambúrguer vegetal, ao vivo, no programa Mais Você. "Eu achei que fosse muito pior do que é", avaliou a apresentadora da TV Globo.

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade