0

Prédio em Viena tem fachada anárquica e telhado arborizado

A Hundertwasserhaus foi construída em 1985, e se destaca na sóbria capital austríaca com sua floresta no teto e seu exterior colorido

22 abr 2014
08h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Apesar de ter sido inaugurada em 1985, a Hundertwasserhaus, idealizada pelo artista plástico Friedensreich Hundertwasser, ainda surpreende com seu design amalucado e sua floresta no telhado , destacando-se na sóbria paisagem urbana de Viena
Apesar de ter sido inaugurada em 1985, a Hundertwasserhaus, idealizada pelo artista plástico Friedensreich Hundertwasser, ainda surpreende com seu design amalucado e sua floresta no telhado , destacando-se na sóbria paisagem urbana de Viena
Foto: Shutterstock

Viena, a capital da Áustria, é conhecida por sua arquitetura clássica e sóbria, na qual se destacam principalmente antigos edifícios dos séculos 19 e 20. O artista plástico austríaco Friedensreich Hundertwasser, no entanto, resolveu romper com a tradição e projetou um prédio que, com suas linhas arredondadas, cores extravagantes, fachada arborizada e terraço florestado, destaca-se totalmente na paisagem da cidade.

A chamada Hundertwasserhaus – ou Casa Hundertwasser, em português – fará 30 anos em 2015. Apesar da idade, a construção continua a surpreender os visitantes. Em 1985, o artista já usava uma ideia que se tornaria mais comum na atualidade: fazer uma floresta no terraço. Hundertwasser já havia expressado anteriormente o projeto de criar “uma casa para pessoas e árvores” em um texto intitulado “Florestamento da cidade”.

O artista plástico, depois de idas e vindas, conseguiu convencer a administração pública de Viena sobre a possibilidade de se criar um edifício com uma floresta no telhado. Como não era formado em arquitetura, recebeu o auxílio do arquiteto Josef Krawina para fazer a construção.

“Parte do terraço é aberto ao público, parte é privada, e uma terceira porção é reservada para a vegetação espontânea”, explica o artista no site da casa. O telhado, claro, teve de ser preparado para receber as plantas, projeto que ficou a cargo do paisagista Sepp Kratochwil, que, entre outras coisas, criou um sistema de armazenamento e uso da água da chuva.

Bastaria o telhado para diferenciar o prédio do resto do visual da cidade, mas sua fachada oferece um espetáculo à parte. Num período em que a uniformização era – e ainda é – a norma, Hundertwasser criou uma “lei da janela” para os futuros moradores da construção: “O residente deve ter o direito de se pendurar de sua janela e fazer o que quiser na parte da parede externa que esteja ao alcance de seus braços, para que as pessoas consigam identificar de longe: ‘uma pessoa livre vive ali’”.

Em sintonia com a “lei da janela” que seria exercida pelos futuros moradores, Hundertwasser já desenhara uma fachada marcada pelas cores e pela irregularidade de linhas que dividem externamente os apartamentos, e que são traçadas com azulejos escuros. Mais uma vez divergindo dos outros edifícios – antigos e preservados – de Viena, o artista cravou: “O meu design irregular da parte externa dos apartamentos não é protegido como um monumento histórico”.

A Hundertwasserhaus, portanto, é um prédio que mudou muito nos seus primeiros trinta anos de existência, e que vai continuar mudando no futuro. Por isso, sempre vale uma visita a esta construção que, apesar da idade, é sempre nova.

Veja também:

Salada de batata com bacon
Fonte: PrimaPagina
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade