0

Antitranspirante sem álcool é o mais indicado após depilação

12 ago 2013
07h09
atualizado às 07h09
  • separator
  • 0
  • comentários

Para ter axilas lisinhas e saudáveis é necessário dedicar uma rotina específica de cuidados à região. Após depilar-se, independentemente do método escolhido, a área debaixo do braço sofre uma leve agressão e fica sensível logo nas primeiras horas, condições que deixam a pele sujeita à irritação. Assim, é preciso estar atento à escolha do antitranspirante que será usado após a remoção dos pelos para não agravar o quadro.

Normalmente, esse tipo de produto leva álcool em sua formulação, componente que combate a ação nociva de micro-organismos e dá consistência aos cosméticos destinados à higiene pessoal, mas que irrita ainda mais a cútis sensibilizada. “Além disso, produtos com álcool podem manchar a pele, principalmente se exposta ao sol”, alerta Sílvia Takakuwa, dermatologista da Clínica Medical Laser, de São Paulo.

Por isso, o ideal é procurar opções que não contenham a substância e possuam ação casada, aliando diminuição do suor, cheiro agradável e hidratação, além de dar um descanso para as axilas. “Também é preciso respeitar o período mínimo de 12 horas após a depilação até aplicar algum antitranspirante. Essa ação é de suma importância, pois deixa a pele respirar”, completa a especialista. Saiba, abaixo, como escolher o formato do seu antitranspirante.

Creme
Indicado para pele sensível, a apresentação em creme deixa a axila bem hidratada após a depilação, mas no dia a dia, deixa a pele úmida e se mistura ao suor, além do risco de obstruir os poros. Para evitar a contaminação do produto, lave as mãos antes de aplicá-lo.

Roll-on
Com consistência levemente cremosa, também se mistura ao suor e pode impedir a cútis de respirar. O atrito entre o frasco e as axilas pode contaminar o produto e eliminar sua função.

Spray
Por ser uma opção líquida, o spray é absorvido pela cútis com eficácia, além disso, não se mistura ao suor. É bom para o dia a dia, mas deve ser evitado se a pele estiver muito irritada, pois atua com rapidez nos poros e pode aumentar as microlesões.

Aerossol
Formato popular, o aerossol deve ser evitado após a depilação, pois apresenta um grande índice de irritação. O jato seco tem micropartículas de talco que podem obstruir os poros e causar inflamações. Apesar disso, no dia a dia é uma boa opção, pois controla ativamente a umidade das axilas.

Gel
Com absorção mais eficiente que as outras opções, o produto em gel não deixa a pele úmida como as versões líquidas e também não promove a obstrução dos poros como as alternativas cremosas. Outro fator relevante é sua rápida secagem debaixo do braço.

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade