PUBLICIDADE

Lula posta foto de filhotes de ema no Alvorada e provoca Bolsonaro: 'Sem ameaça com cloroquina'

Na pandemia, Bolsonaro fez propaganda do medicamento junto com as aves que vivem na residência presidencial

6 out 2023 - 22h45
(atualizado às 22h56)
Compartilhar
Exibir comentários
Lula celebra nascimento de filhotes de ema no Palácio da Alvorada
Lula celebra nascimento de filhotes de ema no Palácio da Alvorada
Foto: Divulgação/@lulaoficial/Rodrigo Stuckert

O Palácio da Alvorada ganhou novos moradores. Em um registro publicado nas redes sociais nesta sexta-feira, 6, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) celebrou o nascimento de filhotes de ema na residência oficial e aproveitou para criticar o ex-chefe do Executivo Jair Bolsonaro (PL). Durante a pandemia, viralizaram fotos do ex-presidente segurando caixas de cloroquina com as emas.

Lula compartilhou a foto de uma das emas do Alvorada junto de filhotes em sua conta na rede social X (antigo Twitter). Na legenda, a assessoria do presidente escreveu: "Olhem as eminhas que nasceram aqui no Alvorada. Elas vão crescer livres e sem o risco de serem ameaçadas com cloroquina". 

A citação faz referência às fotos em que Jair Bolsonaro aparece mostrando caixas do medicamento durante a pandemia de covid-19.

Defensor ávido do medicamento contra o coronavírus, Bolsonaro, que contraiu a doença, se deixou fotografar e filmar com embalagens de cloroquina, no que foi considerado por muitos uma autêntica campanha promocional do medicamento.

Um dos mais expressivos destes momentos foi quando o presidente mostrou uma caixa de cloroquina às emas que habitam os jardins da residência oficial. Os animais olhavam surpresos para o ex-presidente que, sorridente, lhes mostrava a embalagem do medicamento.

Foto: Adriano Machado / Reuters

Nos comentários, internautas também relembraram a morte de duas emas por obesidade. Depois de assumir o mandato, o governo Lula constatou que os animais foram alimentados com restos de comida humana na gestão Bolsonaro. 

No começo do ano, documentos da Emater-DF e da Casa Civil apontaram que os animais estavam sem acompanhamento veterinário e a maior parte deles em instalações inadequadas. Segundo o relatório, o governo de Bolsonaro destinou apenas um terço do orçamento anual que seria preciso para manter os cuidados com os animais, incluindo a alimentação adequada. Alguns dos animais chegaram a ser levados ao Zoológico de Brasília.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade