PUBLICIDADE

Ativistas do clima travam um dos maiores portos da Austrália

Grupo ocupou canal de navegação com caiaques, bloqueando a passagem de navios. Porto afetado é a principal via de exportação de carvão

25 nov 2023 - 09h28
(atualizado em 29/11/2023 às 16h36)
Compartilhar
Exibir comentários
Grupo "Rising Tide" quer veto a novos projetos de combustíveis fósseis
Grupo "Rising Tide" quer veto a novos projetos de combustíveis fósseis
Foto: Roni Bintang/Getty Images

Um protesto de ativistas da Austrália que demandam ações mais intensas do governo contra as mudanças climáticas interrompeu as operações no maior porto de exportação de carvão do país neste sábado (25/11).

O grupo Rising tide (Maré subindo, em português) disse que cerca de 1.500 pessoas participaram do protesto, 300 delas no canal de navegação do Porto de Newcastle.

O porto fica no leste do país, a cerca de 170 km de Sydney, e é o maior porto de cargas a granel da costa leste do país e o maior terminal de exportação de carvão da Austrália.

O objetivo do protesto é bloquear o porto por 30 horas, até as 16h locais de domingo, impedindo o embarque de 500 mil toneladas de carvão, e pressionar o governo australiano a vetar novos projetos de combustíveis fósseis.

A Austrália é o maior exportador mundial de carvão térmico, atrás apenas da Indonésia, e o maior exportador de carvão de coque, usado para fabricar aço.

Caiaques no canal

Ativistas remaram em caiaques para o canal de navegação do porto, o que levou à suspensão do trânsito de navios de carga.

"No momento, devido ao número de pessoas que estão no canal de navegação, toda a movimentação de navios foi interrompida devido a preocupações de segurança, independentemente da carga que estejam transportando ou que pretendam carregar", disse um representante do Porto de Newcastle em um comunicado.

O porta-voz da Rising Tide, Zack Schofield, disse que nenhum carregamento de carvão havia entrado ou saído do porto desde as 10h locais de sábado." Até agora está funcionando", disse ele sobre o bloqueio.

Em abril, 50 dos ativistas do grupo foram acusados pela polícia de um protesto ilegal próximo ao mesmo porto. Neste sábado, nenhuma prisão havia sido feita, informou a polícia.

O atual governo da Austrália, de centro-esquerda, não apóia um veto total a novos projetos de combustíveis fósseis, mas reformas para criar "mecanismo de salvaguarda" com o objetivo de reduzir as emissões de gás carbônico em 43% até 2030. A Austrália está entre os países com maior emissão per capita de carbono do mundo.

Entre os manifestantes estava o líder do partido Os Verdes, Adam Bandt, que publicou no X (antigo Twitter) uma fotografia sua remando num caiaque para bloquear a passagem de barcos. "Se os Trabalhistas não pararem o carvão, as pessoas o farão", escreveu.

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade