PUBLICIDADE

Animais em extinção no Brasil e no mundo

Grande parte dos animais estão em extinção devido à ação humana, à má preservação, à caça ilegal e à destruição de seus habitats naturais

4 mar 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O texto aborda a problemática dos animais em extinção, destacando a ameaça que diversas espécies enfrentam devido à ação humana, como perda de habitat, caça e poluição. Enfatiza a importância da conservação e medidas urgentes para proteger esses animais e preservar a biodiversidade.
Onça pintada faz parte da lista das espécies ameaçadas de extinção
Onça pintada faz parte da lista das espécies ameaçadas de extinção
Foto: agustavop / iStock

Você já ouviu falar que um animal está em extinção? Esse termo, cada vez mais comum nas conversas sobre meio ambiente e biodiversidade, é usado toda vez que uma espécie pode desaparecer do planeta se não forem tomadas medidas para protegê-la.

Enquanto pesquisas mostram que milhares de animais passaram pelo processo de extinção nos últimos cem anos, o risco de extinção de novas espécies continua crescendo — principalmente devido à ação humana na natureza.

O que significa dizer que um animal está em extinção?

O termo "animal em extinção" é utilizado sempre que existe uma população reduzida de uma certa espécie de animal, o que faz com que ele corra o risco de desaparecer do planeta no futuro.

Já o termo "animal extinto" é usado em casos que todos os representantes de uma espécie já morreram, não existindo mais na natureza ou em cativeiro.

O termo "extinto" também costuma ser usado em casos de plantas ou fungos que desapareceram — assim como o "em extinção" é usado para plantas e fungos que podem desaparecer caso não sejam tomadas medidas para sua proteção.

Quais são as causas que levam animais à extinção?

As espécies de animais acabam sendo levadas à extinção por diversos motivos, como:

  • Destruição de seus habitats;
  • Caça e tráfico ilegal de animais;
  • Mudanças climáticas;
  • Poluição;
  • Introdução de espécies invasoras em seus habitats naturais;
  • Mudanças demográficas;
  • Mudanças genéticas das espécies.

Como são classificados os animais em extinção?

Em 1964, a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) criou uma lista de espécies ameaçadas de extinção, chamada de Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas (IUCN Red List).

Essa lista é considerada a mais completa fonte de informação sobre a situação da conservação de espécies, tanto animais, quanto plantas e fungos.A lista é a seguinte:

  • Extinto (em inglês, Extinct – EX): Diz respeito às espécies que não existem mais no planeta, nem na natureza, nem em cativeiro, pois a morte de todos os seus representantes já aconteceu;
  • Extinto na natureza (em inglês, Extinct in the Wild – EW): São as espécies que não podem ser encontradas mais em seu habitat natural, mas que vivem em cativeiro; 
  • Criticamente em perigo (em inglês, Critically Endangered – CR): Espécies classificadas como "criticamente em perigo" possuem um risco extremamente alto de deixarem de existir na natureza;
  • Em perigo (em inglês, Endangered – EN): São as espécies que possuem um risco muito alto de entrar em extinção em seu habitat;
  • Vulnerável (em inglês, Vulnerable – VU): As espécies vulneráveis possuem um risco alto de entrarem em extinção na natureza;
  • Quase ameaçado (em inglês, Near Threatened – NT): Diz respeito sobre as espécies que ainda não podem ser classificadas nas categorias de ameaça, porém, se não forem tomadas providências sobre a sua preservação, poderão, em breve, se tornar parte desse grupo; 
  • Pouco preocupante (em inglês, Least Concern – LC): São aquelas espécies pouco preocupantes, que apresentam ampla distribuição e existem em abundância em seus habitats naturais;
  • Dados insuficientes (em inglês, Data Deficiente – DD): Quando uma espécie é classificada aqui, significa que não existem dados suficientes sobre ela para que se possa avaliar seu nível de conservação;
  • Não avaliado (em inglês, Not Evaluated – NE): São as espécies classificadas que não foram avaliadas pelos critérios da IUCN.

Quais são os animais em extinção no Brasil?

No Brasil, existem 1.249 espécies de animais com ameaça de extinção. A maioria destes animais pertencem à Mata Atlântica, um dos biomas mais explorados do país.Entre os animais em extinção no Brasil estão: 

Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia)

Espécie presente na Mata Atlântica, o mico-leão-dourado é natural do bioma e, por isso, é considerado uma espécie endêmica — mais especificamente, ele aparece no Rio de Janeiro. 

Está classificado como em perigo pela IUCN e sua população sofre com a diminuição.

Boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis)

Presente na Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela, o boto-cor-de-rosa é uma espécie classificada como "em perigo" pela IUCN.

A redução de sua população acontece devido a problemas ambientais e intervenção humana, como a captura acidental durante a pesca, construção de barragens, desenvolvimento de portos e a mineração de áreas.

Cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus)

Classificada como "vulnerável" pela IUCN, o cervo-do-pantanal é o maior cervo sul-americano. Apesar de estar presente em países como a Argentina, Brasil, Paraguai, Peru e Bolívia, a tendência populacional atual é de diminuição e sua extinção já foi registrada no Uruguai.

Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)

Considerado como vulnerável e com população em diminuição, o tamanduá-bandeira é considerado o mamífero mais ameaçado da América Central e está possivelmente extinto em algumas regiões da Argentina, Belize, El Salvador, Guatemala, Uruguai e algumas áreas do Brasil, como Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Essa espécie sofre com ameaças como atropelamentos, incêndios e fragmentação de habitat.

Onça-pintada (Panthera onca)

O maior felino das Américas, a onça-pintada pode ser encontrada em diferentes biomas brasileiros, mas faz parte da lista das espécies ameaçadas de extinção na categoria "vulnerável". 

As principais causas que ameaçam a extinção da onça-pintada estão relacionadas à caça. Além disso, o desmatamento também reduz o seu habitat e compromete a conservação da espécie.

Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)

O lobo-guará é um animal classificado pela IUCN com o risco "vulnerável" de extinção. A causa mais comum para isso é o desmatamento das vegetações.

Essa espécie tem como habitat os biomas do Cerrado e do Pampa, neste último a situação é mais grave: é estimado que, nesse bioma, atualmente exista uma população média de apenas 50 exemplares.

Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari)

A arara-azul-de-lear está classificada na lista da IUCN como "em perigo". A principal causa de seu risco de extinção é o tráfico de animais e destruição do seu habitat.

Essa espécie faz parte de programas de conservação de animais em extinção, que promovem ações de educação ambiental, conscientização e envolvimento da população para sua proteção.

Quais são os animais em extinção no mundo? 

Não é só o Brasil que sofre com o problema dos animais com risco de extinção: esse é um problema mundial, que atinge inúmeras espécies em todo o planeta.

Assim como no Brasil, as causas do risco de extinção são o desmatamento e a ação humana, as mudanças climáticas e a introdução de espécies invasoras nesses locais.

Baleia-azul (Balaenoptera musculus)

A caça intensa da baleia-azul é a principal causa do seu risco de extinção: ela era uma espécie que existia em grande abundância até o início do século XX, mas, com a interferência humana, acabou desaparecendo aos poucos. Porém, estudiosos afirmam que a população da espécie pode se recuperar se preservada.

Em 2002, havia uma estimativa de que entre 5 mil e 12 mil baleias-azuis existiam nos oceanos — especialmente na Antártica. Ela é considerada um dos maiores animais do mundo, podendo medir até 30 metros de comprimento e pesar até 100 toneladas.

Pinguim-africano (Spheniscus demersus)

Um animal que ocupa a costa sul da África, o pinguim-africano sofreu com os derrames de petróleo e a pesca industrial na região: desde 1910, sua população diminuiu, aproximadamente, 90%.

Gorila-da-montanha (Gorilla beringei beringei)

Classificado como "em perigo de extinção" pela IUCN, o gorila-da-montanha é uma espécie de mamífero que pode ser encontrado na África Central, em países como Uganda, Ruanda e República Democrática do Congo. 

As principais causas para extinção dessa espécie estão relacionadas à caça e doenças introduzidas pelo homem, especialmente infecções respiratórias. Registros apontam que, em 2018, havia pouco mais de 1.000 animais dessa espécie.

Tartaruga-verde (Chelonia mydas)

Atualmente classificada como "em perigo" pela IUCN, essa espécie possui uma distribuição muito ampla, presente em todas as águas tropicais do planeta e também, apesar de em menor quantidade, em águas subtropicais.

Coala (Phascolarctos cinereus)

O coala é um animal australiano que está classificado atualmente como "vulnerável" devido à possibilidade de redução de sua população. 

Quais são as medidas de proteção para animais em extinção?

Existem medidas que podem ser tomadas para evitar a extinção de animais. A maioria delas promove a preservação da natureza e pode ser colocada em prática por quem quer contribuir na proteção das espécies ameaçadas de extinção.Entre as medidas de proteção que podem ser tomadas estão:

  • Reflorestar florestas, matas e espaços naturais;
  • Respeite áreas ambientais protegidas;
  • Respeitar parques naturais;
  • Evitar a poluição do meio ambiente;
  • Diminuir o uso de pesticidas e agrotóxicos;
  • Reciclar materiais e reutilizar o que for possível;
  • Não comprar animais de vendedores não autorizados;
  • Não comprar animais ameaçados de extinção;
  • Denunciar crueldade contra animais — não apenas com aqueles ameaçados de extinção, mas todos. 

Saiba mais sobre animais no Terra Planeta!

6 animais que habitam a Mata Atlântica e correm risco de extinção 6 animais que habitam a Mata Atlântica e correm risco de extinção

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade