5 eventos ao vivo

Jogo rápido: Caoa Chery Tiggo7 1.5 TXS 2019

Fabricado em Anápolis (GO) sobre a nova plataforma global desenvolvida pela Chery na China, o Tiggo7 é um SUV médio com muitos recursos

9 out 2019
07h05
  • separator
  • 0
  • comentários

O que é novo

  • O carro inteiro é novo e trata-se do terceiro SUV lançado pela Caoa Chery desde o final de 2017. O Tiggo7 estreou na China erm setembro. Vendeu 34 mil unidades naquele ano. Em 2017 as vendas subiram para 62 mil, mas em em 2018 caíram para 28 mil unidades.
Caoa Chery Tiggo 7.
Caoa Chery Tiggo 7.
Foto: Divulgação
  • O Tiggo7 usa o mesmo motor 1.5 turbo que estreou no Tiggo5x e tem suspensão independente nas quatro rodas. Em relação ao seu irmão menor, o Tiggo7 é um carro mais sofisticado e com proposta de conforto, enquanto o 5x é de aventura.
  • A versão TXS vem de fábrica com teto solar panorâmico.

    O que nós gostamos

  • O acabamento é primoroso. Com muito couro costurado, ele tem áreas soft touch por toda parte e a sensação a bordo é de muito conforto, inclusive no banco de trás.
  • O design é atualíssimo e tem detalhes muito ricos. Foi desenvolvido por uma equipe europeia. Nessa versão, as rodas de liga leve são aro 18, com belo desenho.
  • Equipado com airbags de cortina, o Tiggo7 TXS é competitivo também na questão da segurança.
  • Apesar de usar o mesmo motor do Tiggo5x, o Tiggo7 recebeu um ajuste para entregar desempenho similar ou até superior na sensação do motorista. Sua relação peso/potência é de 9,2 kg/cv e sua relação peso torque é de apenas 7,6 kg/Nm, o que resulta em boa agilidade na cidade.
  • A suspensão é macia, mas não molenga. O fato de vir com suspensão independente nas quatro rodas coloca-o como um carro chinês altamente competitivo em sua categoria. não há pancadas na suspensão ao passar por irregularidades no piso.
  • O espaço interno é bom, com espaço suficiente para três adultos até no banco de trás.

O que pode melhorar

  • A direção elétrica é leve e agradável nas manobras, mas fica um tantinho “boba” em altas velocidades; precisa de uma calibragem para ficar mais firme e passar confiança ao motorista.
  • A ergonomia é boa, mas falta ajuste de profundidade do volante para que os motoristas de todas as estaturas encontrem facilmente a melhor posição de dirigir. Mesmo no ajuste de altura, o movimento é muito pesado.
  • A interface da central multimídia poderia ser mais simples e a luminosidade da tela poderia ser maior. O quadro de instrumentos tem um visual pobre.
  • Nas acelerações bruscas, existe retardo no funcionamento do turbo, o chamado turbolag.
  • O consumo na estrada só um pouco melhor do que o consumo na cidade, devido ao motor de pequena cilindrada e aos ajustes feitos para compensar o peso do carro.

Os números

  • Ano: 2019
  • Preço: R$ 116.990
  • Motor: 1.5 turbo
  • Potência: 150 cv (e)
  • Torque: 210 Nm (e)
  • Câmbio: 6 marchas AT
  • Comprimento: 4,505 m
  • Largura: 1,837m
  • Altura: 1,670 m
  • Entre-eixos: 2,670 m
  • Pneus: 225/65 R17
  • Peso: 1.432 kg
  • Porta-malas: 414 litros
  • Tanque: 57 litros
  • 0-100 km/h: n/d
  • Velocidade máxima: n/d
  • Consumo cidade: 9,7 km/l
  • Consumo estrada: 10,9 km/l
  • Emissão de CO2: 132 g/km

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade