PUBLICIDADE

Honda decide apostar em inédito City Hatch nacional

Honda City hatch será substituto do Honda Fit como modelo de entrada da marca no Brasil; versão sedã chega somente em 2022

9 mai 2021 17h21
ver comentários
Publicidade
Honda City hatch deve chegar ao Brasil em 2021.
Honda City hatch deve chegar ao Brasil em 2021.
Foto: Honda / Divulgação

O inédito Honda City hatch está de malas prontas para o Brasil. É o que indica o levantamento feito pela empresa de consultoria IHS Markit para o site Automotive Business. De acordo com o estudo, o hatch compacto será lançado em dezembro deste ano no país, ocupando o lugar do Fit como modelo de entrada da marca japonesa no mercado brasileiro.

Apresentado mundialmente no final do ano passado, o novo Honda City hatch é a principal aposta da marca japonesa para mercados emergentes. Por fora, o modelo conta o mesmo visual da versão sedã até as portas traseiras. A frente conta com faróis de led com formato afilado. Eles são conectados na parte superior por um friso que forma a grade frontal, que segue a atual identidade visual da Honda.

Na lateral, o Honda City hatch utiliza as mesmas portas da versão sedã, e conta com um vinco marcante que surge do farol dianteiro e segue até as lanternas. Na traseira, o modelo conta com um visual de linhas esportivas, com lanternas de led de aspecto horizontal. Elas invadem a tampa do porta-malas, que também abriga a placa. Há ainda uma versão de visual esportivo (RS), que conta com um aplique que simula um extrator na parte inferior do para-choque.

Traseira do Honda City hatch traz visual esportivo.
Traseira do Honda City hatch traz visual esportivo.
Foto: Honda / Divulgação

Por dentro, o City hatch traz o mesmo interior da versão sedã. O console conta com duas saídas de ar em posição vertical, e o painel de instrumentos é analógico. A central multimídia conta com tela de 8’’ e tem suporte às funções Apple CarPlay e Android Auto. Dentre os equipamentos oferecidos pelo modelo, estão câmera de ré, partida por botão e ar-condicionado digital. Também é possível travar ou destravar o modelo ou dar partida no motor através de um aplicativo próprio da Honda para smartphones.

Sob o capô, o novo Honda City poderá ser equipado com o motor 1.5 que equipa o Civic Touring, só que em versão aspirada. Essa versão manteria a injeção direta de combustível e o duplo comando variável de válvulas. Ele seria flex, com potência em torno de 130 cv com etanol. Outra possibilidade seria manter o atual 1.5 aspirado de 116 cv que equipa os modelos Fit e City sedã. O câmbio será um automático do tipo CVT.

A expectativa da Honda é de iniciar a produção do City hatch em Itirapina (SP) em novembro, com vendas iniciando no mês seguinte. Já o modelo sedã ficaria para o início do ano que vem. No entanto, esse cronograma depende de alguns fatores. Um deles é a oferta de componentes como semicondutores, que estão em escassez no mercado e são essenciais para a produção.

Interior do Honda City hatch: central multimídia de 8’’.
Interior do Honda City hatch: central multimídia de 8’’.
Foto: Honda / Divulgação

Outros fatores são a situação da pandemia e do mercado automotivo brasileiro. Caso o cenário não melhore até o fim do ano, o Honda City deve atrasar. Vale lembrar que as novas gerações dos modelos Fit e Civic têm futuro incerto no Brasil. Com as incertezas do setor e a desvalorização cambial do real, ambos os modelos ficaram mais caros de produzir localmente. Dentre os dois, o que tem mais chances é o Civic. Já o novo Honda Fit não tem previsão de chegar ao Brasil a curto ou médio prazo.  

 

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade