2 eventos ao vivo

Como é a vida a bordo do Audi Q7, o super SUV de 7 lugares

Nova geração do Audi Q7, maior SUV da marca alemã, esbanja tecnologia e cumpre o papel de uma station wagon elevada de 340 cavalos

24 fev 2021
05h00
atualizado às 19h23
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Audi Q7 S Line é o topo da linha e oferece múltiplos modos de condução.
Audi Q7 S Line é o topo da linha e oferece múltiplos modos de condução.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Pensa num carro superlativo. É o novo Audi Q7. O maior SUV da Audi foi além de sua missão nesta nova geração. Com um pacote tecnológico que permite variações no motor,  no câmbio e até na altura do carro, o novo Audi Q7 é um SUV 7 lugares e faz o que se esperaria de uma super perua. Ou, para usar uma linguagem mais apropriada ao segmento de luxo, uma station wagon de 340 cavalos.

O novo Q7 é o tipo de carro que compensa a saudade dos amantes de peruas. Com um porte enorme, espaço interno de sobra, boa capacidade para bagagens até quando está configurado para 7 pessoas e um teto solar panorâmico absolutamente incrível, o SUV de luxo da Audi é um misto de conforto, tecnologia e desempenho.

Novo Audi Q7: podemos dizer que o SUV é uma super perua dos tempos atuais.
Novo Audi Q7: podemos dizer que o SUV é uma super perua dos tempos atuais.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Rodamos durante alguns dias com o novo Audi Q7, que chegou ao Brasil durante a pandemia de coronavírus, na metade do ano passado. O carro é enorme, mede 5,063 m de comprimento e tem 2,994 m de distância entre-eixos. Há espaço de sobra. Claro que, por ser um SUV, ele não é exatamente baixo: tem 1,771 m de altura. Também tem potência de sobra, mas não é exatamente prático. Com 2,212 m de largura e pesando 2.275 kg, o novo Audi Q7 exige atenção nas manobras e revela seu peso ao rodar.

Felizmente, a Audi não economizou em tecnologias. Assim, um carro que poderia ser pesadão e xoxo, na verdade é muito rápido -- depende apenas do desejo do motorista. No console central há dois pequenos botões que permitem ao motorista mudar a configuração do carro. Se fosse um modelo esportivo, diríamos que ele está mal localizado, mas essa não é a proposta do carro. Por isso, a exagerada oferta de modos de condução provavelmente deve ser usada de forma racional pelos donos de Q7.

Audi Q7 é o maior SUV da marca alemã e mede mais de 5 metros.
Audi Q7 é o maior SUV da marca alemã e mede mais de 5 metros.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O carro pode ser configurado nos seguintes modos: Offroad, Allroad, Efficiency, Comfort, Auto, Dynamic e Individual. Um exagero. Mas, para quem pode comprar um carrão desses, que parte de R$ 484.990, todo mimo é pouco. A Audi sabe que o carro é exclusivo, por isso entrega o máximo. O teto solar elétrico panorâmico, por exemplo, é seguramente um dos maiores da indústria automobilística mundial, se não for o maior. O resultado é que a paisagem está sempre disponível a todos os ocupantes do Audi Q7.

Falar do conforto dos bancos dianteiros ou da segunda fileira de bancos é tentar explicar o óbvio. O conforto é enorme, o espaço também. Os passageiros da segunda fileira têm duas telas fixadas no encosto dos bancos dianteiros. Os controles do ar-condicionado são táteis na traseira. Os bancos da terceira fileira são acionados eletricamente.

Painel do novo Q7 tem três displays, começando pelo Audi Virtual Cockpit.
Painel do novo Q7 tem três displays, começando pelo Audi Virtual Cockpit.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Na frente, o novo Audi Q7 tem três displays. O Audi Virtual Cockpit -- que nos carros comuns ainda é chamado de quadro de instrumentos -- oferece uma tela de alta resolução de 12,3”. É possível minimizar o conta-giros e o velocímetro e aumentar o mapa, por exemplo, caso o motorista deseje. O display central superior tem 10,1” e traz os sistemas de entretenimento e navegação. Há um pequeno botão giratório na parte de baixo para o volume do áudio. Abaixo, fica a tela inferior, também tátil, de 8,6”, para o controle do ar-condicionado e outras funções de conforto. Nossa opinião é que o excesso de comandos táteis dificulta mais do que facilita a vida do usuário. Mas, como a Audi quer estar na moda, segue a regra do momento.

O novo Audi Q7 impressiona mais por dentro do que por fora. O design exterior traz a nova grade octogonal que virou marca da Audi, mas o carro não tem linhas muito sedutoras. Há outros modelos da Audi mais bonitos. É o preço que o Q7 pagou por ser o máximo em termos de conforto e usabilidade. Para fazer um carro sexy, realmente encantador, muitas vezes os designers sacrificam algumas funções. Não foi o caso no Q7. Não que o carro seja feio, muito pelo contrário, mas não é um modelo que arranca suspiros na passarela como seu irmão Q8, por exemplo.

Passageiros da segunda fileira de bancos têm duas grandes telas para entretenimento.
Passageiros da segunda fileira de bancos têm duas grandes telas para entretenimento.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A versão que avaliamos é a S Line, topo de linha. Mas é possível comprar um Q7 um pouco mais acessível, com menos equipamentos, por R$ 439.990. Faróis de led matrix, tecnologia de assistência elétrica (48 volts) e park assist são algumas das novidades do Audi Q7 na linha 2021.

O motor 3.0 TFSI é poderoso. Montado na posição longitudinal, este V6 entrega 340 cv de potência e 500 Nm de torque. É a força de uma picape média, usada para trabalho pesado. No Q7, esse torque exagerado permite que as mais de duas toneladas do carro avancem com rapidez no trânsito. Este enorme SUV, que faz tudo que uma super-perua poderia fazer, acelera de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos. A velocidade máxima é de 250 km/h (controlada eletronicamente). Para ter esse desempenho de forma suave, o câmbio é automático tiptronic de 8 marchas e a tração é a famosa integral Quattro, desenvolvida pela Audi no Campeonato Mundial de Rali. Dependendo da posição dos bancos traseiros, o porta-malas pode ter 740 ou 1.925 litros de capacidade.

Motor do Audi Q7 é um poderoso V6 de 3,0 litros montado na posição longitudinal.
Motor do Audi Q7 é um poderoso V6 de 3,0 litros montado na posição longitudinal.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

As rodas também impressionam, pelo porte. O aro de 21” é vestido por um pneu 285/40. O carro traz vários itens eletrônicos de segurança e condução semi-autônoma, bastante invasiva, muitas vezes tomando o controle das mãos do motorista em casos de batida iminente. É um tanto torturante ficar no trânsito porque, no automático, a resposta ao trânsito é um pouco lenta; com o ACC desligado, o carro é pesado no anda-e-para. Por isso, o melhor do Audi Q7 é quando ele está na estrada.

O SUV alemão também é bastante modificado quando está no modo Dynamic. A direção chega a ficar meio pesada. A suspensão endurece, mas não a ponto de tirar o conforto do Q7. Já no modo Comfort a maciez da suspensão é impressionante. Quanto mais rápido ele roda, mais se parece com uma station wagon de luxo. Curvas são com ele mesmo, pois o eixo traseiro dinâmico permite que as rodas girem até 5 graus na direção oposta. O novo Audi Q7, pela proposta e pelo preço, é para poucos. Mas esses poucos poderão carregar muitos e terão muito em troca.

Os números

  • Preço: R$ 484.990
  • Motor: 3.0 V6 turbo 
  • Potência: 340 cv a 5.000 rpm
  • Torque: 500 Nm a 1.370 rpm
  • Câmbio: 8 marchas AT
  • Tração: 4x4 integral
  • Comprimento: 5,063 m 
  • Largura: 1,970 
  • Altura: 1,740 m
  • Entre-eixos: 2,994 m
  • Vão livre: 205 mm
  • Peso: 2.275 kg
  • Pneus: 285/40 R21
  • Porta-malas: 740 litros (5 p.) ou 259 litros (7 p.)
  • Tanque: 85 litros
  • 0-100 km/h: 5s9
  • Velocidade máxima: 250 km/h
  • Consumo cidade: 6,0 km/l 
  • Consumo estrada: 8,0 km/l 
  • Emissão de CO2: 181 g/km
Novo Audi Q7 tem motor 3.0 V6 de 340 cv e bonitas rodas de 21".
Novo Audi Q7 tem motor 3.0 V6 de 340 cv e bonitas rodas de 21".
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade