0

Chrysler 300 poderia voltar ao Brasil com a Stellantis

CEO da Stellantis, Carlos Tavares, disse que a Chrysler não morrerá; pelo contrário, é um pilar da montadora e pode voltar à antiga glória

12 fev 2021
12h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Chrysler 300: vendido até 2016, sedã de luxo ainda tem muitos fãs no Brasil.
Chrysler 300: vendido até 2016, sedã de luxo ainda tem muitos fãs no Brasil.
Foto: Chrysler / Divulgação

A fusão da FCA com a PSA levantou rumores que a marca Chrysler morreria. Nada disso. Segundo o CEO da Stellantis, Carlos Tavares, a Chrysler será recuperada porque se trata de um dos pilares da nova montadora. Faz sentido, pois a Chrysler foi a “mãe” de marcas hoje poderosas como Jeep, Dodge e Ram, mas isso não significa que ela não tenha fãs -- inclusive no Brasil.

A notícia de que a Chrsyler será recuperada foi publicada esta semana pelo jornal de The Detroit News. Segundo o diário americano, Carlos Tavares disse que a Stellantis precisa de alguns meses para determinar qual será o diferencial da Chrysler dentro do grupo. Tavares afirmou que a Chrysler já foi reconhecida como “a tecnologia automotiva americana" e  que a marca pode ser identificada como fabricante de “veículos autônomos, veículos com emissão zero ou veículos altamente conectados".

Segundo o site Carscoops, a Stellantis prefere investir em recuperar a Chrysler, no caso do mercado dos Estados Unidos, do que em introduzir a marca Peugeot, que está ausente. “Em essência, é muito mais fácil reconstruir a Chrysler do que tentar começar do zero com a Peugeot”, escreveu Michael Gauthier. “Essa é provavelmente uma ideia sábia, já que a montadora francesa saiu do mercado dos EUA em 1991 e seria necessário muito dinheiro e esforço para trazê-los de volta.”

Chrysler Pacifica: testes no Brasil e único modelo com motorização híbrida.
Chrysler Pacifica: testes no Brasil e único modelo com motorização híbrida.
Foto: Chrysler / Divulgação

Isso terá repercussão também no Brasil. Ainda não se sabe qual será o posicionamento que a Peugeot e a Citroën terão no Brasil para se diferenciar da Fiat, mas a Chrysler tem produtos que caíram no gosto do consumidor brasileiro. Nos últimos tempos a marca fez alguns testes com a minivan Pacifica, mas o carro que realmente encanta o público é o sedã de luxo Chrysler 300.

Até hoje o Chrysler 300C aparece como destaque no site da marca no Brasil, apesar de o carro não ter sido importado nos últimos quatro anos. O Chrysler 300C foi vendido no Brasil de 2005 a 2016. O último modelo tinha um motor 3.6 V6 aspirado de 296 cv de potência e 353 Nm de torque. Com um câmbio automático de 8 marchas e porta-malas de 500 litros, o Chrysler 300C atendia muito bem o público que deseja um sedã de luxo no padrão americano -- grande, potente e confortável.

Chrysler Voyager: minivan americana tem um visual envelhecido.
Chrysler Voyager: minivan americana tem um visual envelhecido.
Foto: Chrysler / Divulgação

Atualmente, a Chrysler vende nos Estados Unidos o sedã 300 e as minivans Pacifica e Voyager. O único modelo que tem uma versão híbrida é o Pacifica, que teve algumas vendas no Brasil, como teste feito pela FCA. Tudo vai começar, evidentemente, pelo mercado americano, mas a fala de Tavares abriu uma porta de esperança para os fãs da Chrysler no Brasil.

 

Veja também:

Novo Nissan Kicks 2022 dá um salto de qualidade
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade