PUBLICIDADE

Telegram registra mais de 70 milhões de usuários novos

Durante pane do Facebook, WhatsApp e Instagram, o aplicativo de mensagens 'rival' recebeu milhares de novos inscritos

5 out 2021 15h57
| atualizado às 16h28
ver comentários
Publicidade

O aplicativo de mensagens Telegram ganhou mais de 70 milhões de usuários novos durante a pane do Facebook na segunda-feira, disse seu fundador, Pavel Durov, nesta terça-feira, já que pessoas de todo o mundo ficaram sem serviços de troca de mensagens durante quase seis horas. 

O Facebook culpou uma mudança de configuração errada pela interrupção, que impediu os 3,5 bilhões de usuários da empresa de acessarem sua plataforma e serviços de mensagem como WhatsApp, Instagram e Messenger

Telegram recebeu 70 milhões de usuários novos durante pane no Facebook
Telegram recebeu 70 milhões de usuários novos durante pane no Facebook
Foto: Azam Kamolov/Pixabay

"A taxa diária de crescimento do Telegram ultrapassou o normal por uma ordem de magnitude, e acolhemos mais de 70 milhões de refugiados de outras plataformas em um dia", escreveu Durov em seu canal no Telegram.  

Ele disse que alguns usuários das Américas podem ter sofrido com velocidades mais lentas porque milhões correram para se registrar ao mesmo tempo, mas que o serviço funcionou como sempre para a maioria.

A chefe antitruste da União Europeia, Margrethe Vestager, disse que a pane demonstrou as repercussões de se contar somente com algumas grandes empresas e defendeu a necessidade de mais concorrentes. A Rússia disse que o incidente mostrou que Moscou está certa em desenvolver suas próprias plataformas de internet e redes sociais soberanas.

A pane de quase seis horas do WhatsApp na segunda-feira afetou a negociação de ativos, desde criptomoedas ao petróleo, disseram operadores do mercado, mas uma mudança rápida para plataformas alternativas como o Telegram limitou o impacto.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade