0

Série de terror de Spielberg só poderá ser vista à noite

Serviço de streaming Quibi vai usar os recursos do telefone para oferecer diferentes formas de ver c...

11 jun 2019
12h02
  • separator
  • comentários

As novas tecnologias e as múltiplas ofertas de streaming têm mudado a forma como consumimos conteúdo e muita gente vem pensando em diferentes maneiras de aproveitar os recursos atualmente disponíveis para encontrar diferentes e interessantes formas de narrativa. Um exemplo disso é o que a estreante Quibi quer fazer com uma série de terror de Steven Spielberg.

Spielberg vem produzindo muita coisa há bastante tempo mas não vinha escrevendo — seu último projeto confirmado é revival de "Amazing Stories", para o Apple+. Agora, segundo a Variety, o diretor pretende explorar ferramentas dos dispositivos móveis para "obrigar" as pessoas a verem seus assustadores contos apenas à noite.

Inicialmente, ele queria que os usuários só pudessem ver depois da meia-noite. Após uma reunião com engenheiros da Quibi, a solução foi encontrada.

Série vai usar os sensores dos smartphones

Como os dispositivos podem identificar onde você está e quando o sol se põe na sua região, o sistema da plataforma de streaming vai usar esses dados para criar um relógio, que será usado como notificação para que os usuários saibam que aquele é o tempo que eles têm para assistir a série.

Conforme o dia vai amanhecendo, esse prazo vai vencendo. Ao anoitecer, tudo começa novamente e por assim vai. "Steven Spielberg vei até a mim e disse: 'tenho uma história super assustadora que quero fazer'. Ele está escrevendo sozinho e não escreve nada já faz algum tempo, então fazê-lo escrever algo é fantástico", disse Jeffrey Katzenberg, fundador do Quibi.

Fonte: Quibi
Fonte: Quibi
Foto: TecMundo
veu 5 ou 6 episódios de um total de 10 ou 12 capítulos". O título é chamado pelo sugestivo nome de "Spielberg's After Dark".

Quibi chega ao mercado em 2020

Embora o nome possa parecer ruim em português (lembra "quibe", certo?) — e até mesmo em inglês —, vale destacar que a nova plataforma de streaming tem esse nome porque é uma junção das palavras "quick" e "bites" ("pequenas mordidas" ou "pequenos pedaços", digamos assim). A ideia do serviço é oferecer atrações feitas especificamente para serem vistas em celulares.

Alardeada como "a terceira geração de narrativas cinematográficas", o Quibi conseguiu um aporte financeiro no valor de US$ 1 bilhão junto a investidores e tem lançamento previsto para abril de 2020.

TecMundo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade