PUBLICIDADE

iOS 15: novo sistema chega nesta segunda; veja novidades

Atualização já está disponível a partir do iPhone 6S

20 set 2021 18h00
ver comentários
Publicidade
iOS 15 traz compartilhamento de vídeo e áudios no FaceTime, conversão de imagem em texto legível e novas notificações
iOS 15 traz compartilhamento de vídeo e áudios no FaceTime, conversão de imagem em texto legível e novas notificações
Foto: Divulgação/Apple / Estadão

Revelado em junho passado, o iOS 15, novo sistema operacional do iPhone, chega para os usuários nesta segunda-feira, 20. Celulares da Apple lançados de 2015 em diante receberão a atualização. Ou seja, a novidade vale do iPhone 6S até o recém-lançado iPhone 13, que chega às lojas nos Estados Unidos nesta próxima sexta-feira, 24.

O iOS 15 não trouxe mudanças radicais no sistema do iPhone (ao contrário do iOS 14), mas traz funcionalidades novas ao FaceTime (que ganhou outra importância desde a pandemia de covid), ferramentas antidistração, novo visual para o navegador Safari e mais medidas de privacidade.

Abaixo, confira as principais novidades do iOS 15.

Novo FaceTime

Extremamente úteis durante a pandemia de covid, as videochamadas foram decisivas para manter as atividades do cotidiano em operação. O FaceTime, do iOS, trará mudanças em várias frentes. Primeiro, será possível isolar voz de quem está falando ao microfone — sabe aquele barulho de obra do vizinho que atrapalha a sua reunião? O software da Apple promete abafar o som da obra e permitir que a sua voz saia clara na chamada. Outro recurso é a adição de desfocar o fundo nas chamadas, algo bastante conhecido em concorrentes, como Zoom, Google Meet e Microsoft Teams.

O recurso mais importante é o SharePlay: dois usuários podem se encontrar no FaceTime e, juntos, assistirem a um filme ou série de TV no aparelho, que irá mostrar o conteúdo em exibição e, em miniatura, o rosto do colega reagindo à tela simultaneamente. Na pandemia, não faltaram histórias de pessoas que ficavam ao telefone enquanto assistiam à TV, separadamente. O SharePlay é a resposta da Apple a isso.

Vale dizer que a funcionalidade traz empecilhos, no entanto. É preciso que os dois usuários tenham contas no serviço de streaming escolhido, sem a possibilidade de dividir o login. Além disso, players importantes ainda não aderiram ao recurso, como Netflix e YouTube. Até o momento, Disney+, HBO Max e, claro, AppleTV+ são os nomes envolvidos.

Por fim, o novo FaceTime poderá ser compartilhável com outros dispositivos que não são do jardim murado da Apple — Android e Windows poderão participar de chamadas por um link no navegador.

FaceTime foi o aplicativo que mais recebeu novidades no iOS 15, incluindo um Modo Retrato para desfocar o fundo nas chamadas de vídeo
FaceTime foi o aplicativo que mais recebeu novidades no iOS 15, incluindo um Modo Retrato para desfocar o fundo nas chamadas de vídeo
Foto: Divulgação/Apple / Estadão

Hora do foco!

Apesar de depender que os usuários usem cada vez mais os aparelhos, a Apple quer que você se concentre no que estiver fazendo. Por isso, a empresa está aprimorando o Modo Não Perturbe para separar o que é trabalho de entretenimento, por exemplo.

Com o Modo Foco ativado, o usuário pode escolher quais aplicativos podem enviar notificações em determinado horário. Durante o horário de trabalho, por exemplo, será possível bloquear notificações do Twitter e Instagram, mas manter os alertas do WhatsApp, Slack e e-mail. Aos finais de semana, pode ser feito o caminho inverso e silenciar notificações de aplicativos do trabalho.

Por meio de aprendizado de máquina, o próprio iOS 15 irá sugerir mudanças para os usuários — mas estes podem customizar seus próprios horários de focos e selecionar os aplicativos permitidos e proibidos em certos momentos. O recurso pode ser ativado também a partir de geolocalização: ao chegar no escritório, o celular irá entender que você chegou ao trabalho, por exemplo.

Safari ganha novo visual

O navegador Safari, da Apple, ganhou um novo visual para ser utilizado com uma só mão: a barra de endereços saiu do topo para o pé da tela, algo bastante útil conforme vão ficando maiores as telas do iPhone. Além disso, há o agrupamento de abas, diminuindo a poluição de elementos na tela.

Desenvolvedores que testaram o recurso dividiram-se. Uns dizem que é uma boa solução, outros afirmam que é pouco intuitivo. Resta saber como vai ser a adesão dos usuários e, principalmente, se, em caso negativo, a Apple pretende reverter a decisão.

Conversão de imagem em texto

Com o iOS 15, o flerte fica mais fácil. Sabe o bilhete com o número de um contatinho no bar? Agora será possível apontar a câmera do iPhone para o papel e, automaticamente, o sistema entende os números escritos e os converte em texto legível. Nada de ficar checando se você errou o número antes de mandar a mensagem.

Já visto em celulares Android (como modelos da Samsung), o recurso de Texto Ao Vivo, como é chamado pela Apple, tem outros potenciais. É possível apontar a câmera para placas de rua e mandar o endereço para amigos por mensagem ou salvar telefones em cartazes de "Aluga-se". Esse talvez seja o recurso mais importante do novo iOS, com potencial imenso para facilitar o dia a dia das pessoas.

Novo Tempo

O aplicativo Dark Sky, focado em clima e um dos mais famosos da App Store (a loja de aplicativos da Apple), foi comprado pela fabricante do iPhone em março de 2020 e, até então, não havia sido muito bem utilizado pela empresa - até o iOS 15.

O aplicativo Tempo foi redesenhado, desta vez inspirado no Dark Sky, que trazia animações, mapas e dados climáticos mais precisos para os usuários. Além disso, o novo app também irá notificar os usuários quando chuva ou neve estiverem para cair.

iCloud

O serviço de nuvem da Apple, o iCloud, agora conta com um "herdeiro", uma pessoa escolhida pelo usuário que vai administrar o conteúdo em caso de morte. Redes sociais como Facebook já têm essa função.

O serviço terá uma versão turbinada com ferramentas de privacidade, chamada iCloud+. Entre as principais funções, estão o acesso a uma VPN para esconder os dados de navegação do usuário e a criação de e-mails aleatórios para o cadastro em serviços da internet (de forma a evitar compartilhamento de informações com sites desconhecidos).

O iCloud+ será incluso em todos planos existentes do iCloud, sem custo adicional.

Privacidade

A Apple tem investido bastante em privacidade e o iOS 15 não é exceção.

Para esconder dados de leitura de correios eletrônicos, o aplicativo de e-mail nativo (o Mail) irá permitir que o usuário esconda o endereço de IP, localização e até se chegou a abrir a mensagem. Neste último quesito, a empresa vai bloquear o recurso chamado de "tracking pixels", que monitora o que acontece na tela do usuário. Outra novidade é que será possível obter um relatório de como cada aplicativo usa seus dados, expondo o que foi utilizado e quando.

Em outra frente, a assistente Siri vai processar áudio no próprio aparelho, e não mais em servidores na nuvem. Uma das grandes críticas em relação a produtos como Alexa e Google Assistente é de que o processamento de servidores abre muitas brechas para a violação de privacidade. Além de aumentar a privacidade, a mudança promete dar mais rapidez aos comandos: você pode, por exemplo, dizer para a Siri começar um cronômetro de cinco minutos e a assistente começa a contagem imediatamente, sem pausas dramáticas.

... mas sem ferramenta contra pedofilia — por enquanto

Em agosto, de maneira controversa, a Apple anunciou que lançaria no iOS 15 uma ferramenta que vasculha a biblioteca de imagens na nuvem dos usuários em busca de imagens atribuídas a abuso infantil e pedofilia.

O anúncio gerou críticas de especialistas em privacidade, que afirmaram que a ferramenta poderia abrir portas para usos diferenciados. A Apple garantiu que a solução é confiável — mas desistiu de lançar a ferramenta, ao menos em 2021.

Estadão
Publicidade
Publicidade