0

Harley-Davidson tem dificuldades em atrair novos clientes para moto elétrica

7 out 2019
12h48
atualizado às 12h57
  • separator
  • 0
  • comentários

A Harley-Davidson está apostando em motocicletas elétricas para atrair a próxima geração de jovens com consciência ambiental para reverter queda de vendas nos Estados Unidos.

LiveWire, nova motocicleta elétrica da Harley-Davidson 
07/10/2019
Harley-Davidson Motor Company/Divulgação via REUTERS
LiveWire, nova motocicleta elétrica da Harley-Davidson 07/10/2019 Harley-Davidson Motor Company/Divulgação via REUTERS
Foto: Reuters

Mas conforme a Harley envia suas primeiras motocicletas "LiveWire" - que custam 29.799 dólares - para os revendedores, há poucas evidências de que a marca de 116 anos esteja alcançando novos clientes jovens.

O problema está principalmente no preço de produto "super premium". A moto custa quase o mesmo que um Tesla Model 3 e visa um mercado que realmente não existe: motociclistas jovens, ricos e ecológicos.

A elegante moto esportiva está disponível para pré-encomenda nos Estados Unidos desde janeiro. No entanto, a maior parte das encomendas vem de motociclistas mais velhos, de acordo com entrevistas com 40 das 150 concessionárias nos EUA que vendem a motocicleta neste ano.

Durante anos, a Harley fracassou em aumentar as vendas nos Estados Unidos, sendo o principal mercado responsável por mais da metade de suas motocicletas vendidas. À medida que sua base de clientes nascidos nos pós-guerra envelhece, a empresa com sede em Milwaukee está tem dificuldades em conquistar novos clientes.

Em 2018, a Harley teve a maior queda nas vendas em quatro anos nos Estados Unidos. As vendas nos EUA devem cair novamente este ano.

O preço das ações da fabricante caiu 42% nos últimos cinco anos. Em comparação, o S&P 500 ganhou 47%.

Para aumentar as vendas, revendedores esperam que a Harley siga o caminho da Tesla: lance veículos elétricos mais acessíveis depois de criar um burburinho com um modelo premium.

O primeiro carro elétrico da Tesla custou mais de 100 mil dólares, mas os preços caíram com os modelos seguintes. O Model 3 agora vem com um preço base de 35 mil dólares e foi fundamental para elevar as vendas a um nível recorde no último trimestre.

As motocicletas tradicionais de nível básico da Harley Davidson custam cerca de 6.900 dólares.

Mas, diferentemente da Tesla, a Harley não desfruta da verdadeira vantagem de ter sido pioneira. A Zero Motorcycles, com sede na Califórnia, já está vendendo motocicletas elétricas nos Estados Unidos, com preços de varejo que variam de 8.500 a 21 mil dólares. Sua motocicleta de ponta - SR/F - é semelhante à LiveWire, mas custa quase 9 mil dólares a menos.

Ainda assim, Bob Clark, um revendedor de motocicletas da Zero em Chicago, diz que ainda não vendeu uma SR/F para motociclistas com menos de 35 anos. Todas as três motos elétricas que ele vendeu para jovens motociclistas este ano estavam na faixa de preço de 10 mil dólares.

"Os jovens pilotos são ambientalmente conscientes, mas também muito sensíveis ao preço", disse Clark.

Sete concessionárias Harley disseram à Reuters que nem se deram ao trabalho de encomendar a motocicleta LiveWire, o que exigiria investir em uma estação de carregamento de bateria de nível 3 e treinamento de funcionários.

Um revendedor de Ohio, que inicialmente se inscreveu para receber a LiveWire, disse que desistiu no último minuto porque não tinha certeza da demanda da moto em sua área.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade