0

Grupos apoiados por Google criticam novos alertas da Apple sobre rastreamento de usuários

3 jul 2020
10h12
atualizado às 10h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um grupo de associações europeias de publicidade digital criticou nesta sexta-feira os planos da Apple de exigir que os aplicativos busquem uma permissão adicional dos usuários antes de rastreá-los em outros aplicativos e sites.

28/09/2018
REUTERS/Tatyana Makeyeva
28/09/2018 REUTERS/Tatyana Makeyeva
Foto: Reuters

A Apple divulgou na semana passada recursos de seu próximo sistema operacional que exigirão que aplicativos mostrem uma tela pop-up antes que eles habilitem uma forma de rastreamento geralmente necessária para exibir anúncios personalizados.

Dezesseis associações de marketing, algumas das quais apoiadas por Facebook e Google, criticaram a Apple por não aderir a um sistema de anúncios que busca o consentimento do usuário sob as regras de privacidade europeias. Agora, os aplicativos precisarão pedir permissão duas vezes, aumentando o risco de os usuários recusarem, argumentaram as associações.

Facebook e Google são as maiores dentre milhares de empresas que rastreiam os consumidores online para entender seus hábitos e interesses e veicular anúncios direcionados.

A Apple disse que o novo recurso visa dar aos usuários uma maior transparência sobre como suas informações estão sendo usadas. Em sessões de treinamento em uma conferência de desenvolvedores na semana passada, a Apple mostrou que os criadores de apps podem apresentar qualquer número de telas adicionais antecipadamente para explicar por que a permissão é necessária antes de acionar o pop-up.

O pop-up diz que um aplicativo "deseja permissão para rastrear você em aplicativos e sites de outras empresas" e fornece ao desenvolvedor do aplicativo a possibilidade de adicionar um texto para explicar por que a permissão é solicitada.

O grupo de empresas europeias de marketing disse que o aviso pop-up e a capacidade limitada de personalizá-lo ainda acarretam "um alto risco de recusa do usuário".

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade