0

Ford compra startup de patinetes elétricos por US$ 100 mi

Considerada terceira força do setor no mercado americano, empresa deve fazer parte do negócio de mobilidade da Ford

8 nov 2018
11h40
atualizado às 12h03
  • separator
  • comentários

A montadora americana Ford está em vias de anunciar a aquisição da startup de patinetes elétricos Spin, considerada a terceira força do mercado americano do setor, atrás das bilionárias Bird e Lime. Segundo publicação do site especializado em tecnologia Axios, a negociação entre as duas empresas foi avaliada em torno de US$ 100 milhões.

Hoje, a Spin opera seus patinetes elétricos em oito cidades americanas e no campus de cinco grandes universidades. A empresa foi uma das pioneiras a explorar o mercado, desde o ano passado, especialmente em San Francisco, na Califórnia, coração do Vale do Silício. Após a regulamentação da prefeitura local, que concedeu permissão para outras empresas explorarem o setor, a empresa porém, demonstrou poucos avanços.

A montadora americana Ford está em vias de anunciar a aquisição da startup de patinetes elétricos Spin por US$ 100 milhões
A montadora americana Ford está em vias de anunciar a aquisição da startup de patinetes elétricos Spin por US$ 100 milhões
Foto: Reuters

É um movimento que deve mudar: na semana que vem, a empresa vai se reunir com a cidade de São Francisco para apelar da decisão que negou permissão à empresa para operar no município. Caso seja bem sucedida, pode ter uma vantagem na competição contra as rivais, em um segmento que também já tem a participação de grandes empresas, como o Uber - a companhia de transporte por aplicativo já tem planos de usar sua empresa de bicicletas elétricas, a JUMP, para operar serviço semelhante.

Aqui no Brasil, o setor também está aquecido, com startups como Yellow, Scoo e Ride fazendo testes e aguardando regulamentação local para começar a operar. A colombiana Rappi, de entregas, também já firmou parcerias para colocar seus veículos para rodar por aqui.

Procuradas pelo site americano TechCrunch, as duas empresas ainda não comentaram o assunto. Para a Ford, que tem buscado se transformar em uma empresa de soluções de mobilidade (e não apenas de carros), a compra pode ser bem-vinda.

Veja também:

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade