0

Dados de usuários de grupos do Facebook podem ter sido acessados

Cerca de 11 desenvolvedores teriam acessado as informações nos últimos 60 dias; a empresa disse que não encontrou evidências de abuso

6 nov 2019
19h07
  • separator
  • 0
  • comentários

O Facebook admitiu nesta terça-feira, 5, que surgiu um novo contratempo envolvendo privacidade em sua plataforma. Desta vez, cerca de 100 desenvolvedores de aplicativos podem ter acessado, por erro, nomes e fotos de usuários de alguns grupos na rede social.

A empresa anunciou o incidente numa postagem em seu blog, estimando que 11 desenvolvedores teriam acessado as informações nos últimos 60 dias. O problema parece ter surgido de uma falha no serviço de grupos do Facebook.

Sobre o caso, a empresa disse que "alguns aplicativos retinham acesso a informações de membros de grupos, como nome e foto do perfil em conexão com atividades do grupo, dos Grupos API, por mais tempo do que imaginávamos". O Facebook não informou quem exatamente acessou os dados e quantos usuários foram afetados.

"Embora não tenhamos encontrado evidências de abuso, vamos pedir ao Facebook que delete dados retidos de qualquer membro, e vamos fazer auditorias para confirmar se foram deletados", disse Konstantinos Papamiltiadis, diretor de parcerias em plataformas no Facebook, em comunicado.

A revelação pode resultar em outra onda de críticas à empresa, três meses após ela ser punida por órgãos reguladores federais com uma multa de US$ 5 bilhões e outras sanções por uso indevido de informações pessoais de usuários - o acordo depende ainda de aprovação de um tribunal federal e eventualmente o Facebook pode ter de se comprometer a ser mais vigilante sobre aplicativos de sua plataforma.

Desde que a Comissão Federal de Comércio fechou esse acordo da multa com o Facebook, outros incidentes vieram à tona. Em setembro, o Facebook informou que havia suspendido "dezenas de milhares" de aplicativos que poderiam ter feito mau uso de dados, inclusive alguns com grande número de seguidores, revelaram documentos jurídicos.

A empresa não se manifestou para comentários.

Antes de abril de 2018, administradores de grupos podiam autorizar aplicativos a acessar informações de usuários desses grupos na rede social. Após essa data, o Facebook informou que impôs restrições a desenvolvedores, que teriam de ter permissão de membros de grupos antes de coletar informações como seus nomes e fotos dos perfis./ TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade