0

Microsoft é processada por não conseguir provar que empresa pirateava o Office

14 nov 2017
09h21
  • separator
  • comentários

A Microsoft e a BSA (Business Software Alliance) vêm acusando a empresa Hannah Instruments de pirataria dos seus softwares. Mas, recentemente, o caso teve uma reviravolta: a acusada apresentou uma ação judicial contra a companhia de Bill Gates, afirmando que não foi feito nada de maneira ilegal e que não existem provas que respaldem as acusações da gigante.

Microsoft
Microsoft
Foto: Marketing Land / Canaltech

A acusação começou em junho com uma notificação da Microsoft acusando a Hannan Instruments de piratear o Office. Diante disso, foi conduzida uma investigação interna para apresentar à corte que mostra a compra de 126 cópias do software, sendo 120 em uso.

Mesmo diante da apresentação das chaves de ativação e recibos, a Microsoft continuou insistindo em ser indenizada em US$ 5 milhões, embora tenha aceitado resolver o caso com US$ 72 mil. Ciente de que não cometeu nenhum ato ilegal, a Hannah virou o jogo e decidiu processar a gigante de Redmond por ela não apresentar qualquer prova para sustentar o caso.

Por anos a BSA e a Microsoft investigam o uso indevido de softwares em pequenas e grandes empresas. Quando alguma é descoberta, ela recebe uma notificação pedindo o pagamento, mas, caso não aconteça, o caso segue na justiça para consequências legais.

Canaltech Canaltech

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade