0

Pentágono diz que ataque na Síria foi preciso e eficiente

EUA, Rússia e França bombardearam o regime de Bashar al-Assad

14 abr 2018
11h41
atualizado às 11h48
  • separator
  • comentários

O Departamento de Defesa norte-americano afirmou neste sábado (14) que o ataque contra o regime sírio de Bashar al-Assad realizado pelos Estados Unidos, França e Reino Unido foi totalmente "preciso" e "eficiente".
    Em coletiva de imprensa realizada em Washington, o Pentágono disse que os mísseis lançados atingiram todos os alvos e foram "esmagadores".
    O ataque foi uma resposta ao suposto ataque químico ocorrido em Duma, na região da Ghouta Oriental, que deixou entre 70 e 100 pessoas mortas, no último sábado(7). A ofensiva foi atribuída pelos rebeldes ao regime de Assad. "O uso de armas químicas em qualquer lugar do mundo é indesculpável e uma violação do direito internacional e os Estados Unidos não vão tolerar", afirmou a porta-voz do Pentágono, Dana W.White.
    Para ela, o ataque à Síria significa uma mudança na política de Washington em relação a Damasco. "Na noite passada, as forças dos Estados Unidos - sob a direção do presidente dos EUA - lançaram ataques de precisão contra alvos do regime de Assad associados ao uso de armas químicas".
    "Estamos extremamente orgulhosos dos militares do país que realizaram a operação", acrescentou, White.
    Segundo o tenente-general Kenneth F. McKenzie, a Síria perdeu uma boa quantia de seus equipamentos, pois 105 mísseis foram disparados. Além disso, nenhum avião norte-americano foi atingido pela defesa síria. Não há informações sobre mortes de civis.
    Os sistemas de Defesa sírios reagiram, atingindo 13 mísseis em Al Kiswah, nos subúrbios de Damasco, informou o Pentágono. "Não estamos sabendo de nenhuma casualidade de civis decorrida do ataque até o momento. Depois do ataque o exército sírio disparou mísseis, que não sabemos onde caíram", relatou McKenzie.
    O Pentágono ainda afirmou que as equipes antiaéreas russas não foram disparadas. A informação foi confirmada pelo ministério da Defesa da Rússia.
    A ofensiva teve três alvos principais, sendo uma instalação de pesquisa na capital Damasco e locais para suposto armazenamento de agentes químicos nas proximidades da cidade de Homs, no oeste da Síria. As forças aéreas e marinhas dos EUA, França e Reino Unido lançaram os primeiros ataques por volta das 21h de Washington.
    "Lançamos o bombardeio para evitar que a Síria use armas químicas no futuro", disse. "Nosso objetivo na Síria continua sendo combater o Estado Islâmico", explicou White.
    Conselho de Segurança da ONU O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunirá neste sábado (14) para debater a situação na Síria depois do bombardeio realizado em conjunto entre os Estados Unidos, Reino Unido e França.
    A reunião foi solicitada pela Rússia e, segundo o embaixador da Suécia na ONU, Carl Skau, ocorrerá a partir das 11h (horário local).
   

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade