0

Pacientes assintomáticos provocam disparada de Covid-19 na Coreia do Sul

27 nov 2020
11h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Pacientes assintomáticos de Covid-19 estão impulsionando uma disparada de casos novos na Coreia do Sul e frustrando os esforços de controle da transmissão no país asiático, que conseguiu domar as infecções em surtos anteriores.

Sul-coreanos em ônibus pelas ruas de Seul
27/11/2020
REUTERS/Heo Ran
Sul-coreanos em ônibus pelas ruas de Seul 27/11/2020 REUTERS/Heo Ran
Foto: Reuters

A Coreia do Sul relatou 569 casos novos nas 24 horas encerradas à meia-noite de quinta-feira, um nível que não era visto há quase nove meses, enquanto lida com a terceira onda da pandemia --que parece estar se agravando, apesar das novas medidas rígidas de distanciamento social.

Vendo os jovens no cerne da disparada, as autoridades de saúde sul-coreanas estimam que, no momento, os pacientes assintomáticos representam 40% do total de infecções, um aumento acentuado em relação aos 20% a 30% de junho.

Em comparação, pesquisas indicam que cerca de uma de cada cinco pessoas infectadas em geral não terá sintomas.

A taxa é muito menor na China, onde o centro estatal de controle de doenças disse em fevereiro que cerca de 1% dos mais de 70 mil casos que analisou foram assintomáticos. Em Tóquio, cerca de 19% dos pacientes são assintomáticos.

Não está claro por que alguns pacientes que são diagnosticados com o vírus não desenvolvem qualquer sintoma, mas autoridades de saúde acreditam que eles representam um risco de transmissão menor - só que as pessoas que eles infectam podem exibir sintomas.

As autoridades também estão preocupadas com um aumento de focos irrastreáveis, já que estas infecções assintomáticas são mais difíceis de identificar.

O clima frio está acelerando ainda mais a disseminação, já que mais reuniões e atividades são realizadas em locais fechados com pouca ventilação, e o risco de infecções involuntárias de pacientes sem sintomas aumentou.

Veja também:

Quem é Jill Biden, a nova primeira-dama dos EUA?
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade