PUBLICIDADE

Roupas de Guantánamo e de reféns do EI não são coincidência

No momento das decapitações, vítimas dos jihadistas vestiam camisetas laranjas, uniforme dos prisioneiros da prisão norte-americana em Cuba

5 fev 2015 14h23
| atualizado às 17h09
ver comentários
Publicidade
<p>Imagem parada de v&iacute;deo publicado na m&iacute;dia social que mostra um homem que seria o piloto jordaniano Kasaesbeh, antes de sua execu&ccedil;&atilde;o pelo Estado Isl&acirc;mico</p>
Imagem parada de vídeo publicado na mídia social que mostra um homem que seria o piloto jordaniano Kasaesbeh, antes de sua execução pelo Estado Islâmico
Foto: Social media via Reuters TV / Reuters

Um oficial graduado da área da defesa dos Estados Unidos disse não ser uma "coincidência" o fato de vídeos recentes do Estado Islâmico com execuções cruéis de reféns da Jordânia e Japão mostrarem as vítimas usando roupas laranjas, "consideradas por muitos como um símbolo da prisão norte-americana em Guantánamo".

Brian McKeon, principal subsecretário de políticas de defesa, fez a afirmação durante depoimento em uma comissão do Senado.

EI divulga vídeo que mostraria piloto sendo queimado vivo:

McKeon afirmou que o presidente dos EUA, Barack Obama, e sua equipe de segurança acreditam que a continuidade das operações no centro de detenção de Guantánamo "é usada por extremistas violentos para incitar populações locais".

"Não é uma coincidência os vídeos recentes do Estado Islâmico mostrarem a cena bárbara do piloto jordaniano queimando e a execução salvagem do refém japonês com as vítimas usando a roupa laranja, considerada por muitos como símbolo de Guantánamo", disse.

Desvendando o Estado Islâmico Desvendando o Estado Islâmico

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade