PUBLICIDADE

14 cientistas políticos analisam a Super Terça nos EUA

1 mar 2016 12h15
| atualizado às 12h15
ver comentários
Publicidade
Foto: O Financista

Nesta terça-feira (1º), 12 estados e mais um território norte-americano participarão das prévias das eleições presidenciais dos EUA, na tradicional data conhecida como Super Terça. A data, cujo conceito foi originalmente criado em 1988, pode fazer com que Hillary Clinton e Donald Trump disparem e se tornem, talvez, imbatíveis. Além disso, o dia de votações poderá representar o "fim da linha" para os candidatos que obtiverem um desempenho fraco.

Em um único dia, os candidatos republicanos poderão conquistar 595 delegados, enquanto os democratas buscarão convencer 1015 delegados. Participam da Super Terça os estados de Alabama, Alaska, Arkansas, Colorado, Georgia, Massachusetts, Minnesota, Oklahoma, Tennessee, Texas, Vermont e Virgínia, além do território da Samoa Americana.

Do lado republicano, a Super Terça é "matar ou morrer" para Ted Cruz, que precisa de uma vitória expressiva em seu estado natal - o Texas - para continuar com chances na disputa. "Atualmente, o candidato que corre mais risco é Ted Cruz", diz James Campbell, professor do departamento de ciência política da University of Buffalo.

Em relação aos democratas, uma vitória de Hillary poderá fazer com que a nomeção de Bernie Sanders se torne cada vez mais "inviável". 

Para Bruce Miroff, professor de ciência política da Albany University, "a Super Terça não decidirá a nomeação de nenhum dos dois partidos, mas poderá fornecer um sinal claro de quem serão os prováveis candidatos."

Confira a análise de 14 cientistas políticos consultados por O Financista:

Andra Gillespie, professora de ciência política da Emory University

"A Superterça é importante porque é o primeiro passo de um candidato na tentativa de provar que ele pode executar uma campanha nacional. Eles não podem estar em todos os lugares ao mesmo tempo, então têm que tomar decisões estratégicas importantes. Além disso, mais de 500 delegados republicanos e mais de 1000 democratas estão em jogo nesta terça-feira. Já que o candidato republicano precisa de 1237 delegados para ganhar, e o candidato democrata precisa de 2382 delegados, isso significa que, caso o candidato não ganhe nenhum delegado nesta terça-feira, é realmente difícil imaginar um jeito deles conquistarem algo no futuro."

 Bert Johnson, professor-associado e presidente do departamento de ciência política do Middlebury College

“A Super Terça é fundamental para o número de delegados que os candidatos podem acumular e pelos sinais sobre a direção da disputa. Acredito que o candidato mais provável a desistir é Ben Carson, que não tem conseguido atrair muito apoio de nenhum lugar. John Kasich tenterá permanecer até que seu estado natal – Ohio – vote. Rubio e Cruz encontrarão algum motivo para continuar, assim como Sanders, do lado dos democratas.”

Daniel Palazzolo, professor e presidente do departamento de ciência política da University of Richmond

“Geralmente, a Super Terça é decisiva para o Partido Republicano. Mas acredito que, neste ano, o dia 15 de março será mais importante, já que Flórida e Ohio são primárias ‘winner-take-all’ [onde o vencedor conquista todos os delegados]. Se Cruz não vencer no Texas, ele pode estar acabado. Ben Carson também pode se enfraquecer."

Matthew Wilson, professor de ciência política da Southern Methodist University

"A Super Terça provavelmente será muito ruim para Bernie Sanders, diante da vantagem de Hillary Clinton. Ele pode continuar na corrida, mas já não terá um caminho muito viável para a nomeação. Se Ted Cruz não ganhar em nenhum estado, seria muito ruim para sua candidatura, porque esses estados são os tipos de lugares em que ele é esperado para ir bem. John Kasich e Bem Carson deverão perder feio em todos os lugares e deveriam, obviamente, sair da corrida, mas eles provavelmente não irão."

Richard R. Johnson, presidente do departamento de ciência política da Oklahoma City University

“É uma oportunidade para Clinton e Trump se distanciarem tão à frente de seus oponentes que eles não poderão ser pegos. E eu acredito que isso é provável. Se não agora, então a rodada de primárias e cáucus no dia 15 de março será crucial. Não vejo nenhum dos candidatos atuais desistindo da campanha. Talvez Kasich, mas ele provavelmente esperará até o dia 15, quando Ohio – seu estado natal – votar.”

Julian E. Zelizer, professor de história e relações públicas da Princeton University

“A Super Terça não será decisiva, mas terá a sua importância. Em termos de números de delegados e de impulso, ela será fundamental. Se Trump for bem, mesmo que outros consigam delegados, será difícil de afastar a adesão, o dinheiro e os votos de seu caminho.”

Joshua Putnam, professor do departamento de ciência política da School of Public and International Affairs da University of Georgia

"O quão decisiva a Super Terça será depende inteiramente de quão grande será a liderança de delegados para os vencedores. Ninguém vai selar a indicação após a Super Terça, mas os candidatos de ambos os lados poderiam colocar alguma distância real entre si e os outros na contagem de delegados. Todas as campanhas estão sinalizando que vão continuar a caminhar independente dos resultados na terça-feira. Mas é isso o que as campanhas fazem.

Sanders não irá desistir e não parece que algum outro republicano irá. Carson é um asterisco, então, se ele cair fora ou não, é muito irrelevante. Não me surpreenderia se ele se retirar da disputa. Jasich parece estar na corrida até quando a votação se deslocar para o Centro-Oeste, onde ele acha que pode ir bem. Rubio parece que está indo para lugar nenhum. E Cruz realmente precisa ir bem na terça-feira, já que terá uma porção de estados favoráveis à sua frente. Se ele não for bem nesta terça, poderá ser pressionado a desistir.”

Dennis J. Goldford, professor de ciência política da Drake University

“Se Bernie Sanders conquistar poucos estados – ou nenhum – na Super Terça, os comentaristas começarão a discutir sobre como é apenas uma questão de tempo antes que ele desista. Se Sanders vencer bem, então o establishment do Partido Democrata se preocupará intensamente sobre a viabilidade de Hillary Clinton”.

Mark Jones, cientista político da Rice University

“A Super Terça pode ser decisiva para Hillary Clinton caso ela consiga obter uma vitória substancialmente no número de delgados em relação ao Sanders, o que aumentaria a pressão para ele pôr um fim à sua campanha, não agora, mas, caso a onda persista, antes do fim de março. Dependendo de como Hillary for, será cada vez mais inviável questionar a matemática de que ela é, inevitavelmente, a vitoriosa. E cada vez mais Sanders será tratado como um candidato sem esperança de vitória pela mídia (menos cobertura), doadores (menos dinheiro) e eleitores (menos votos).

Esta terça-feira é ‘matar ou morrer’ para Ted Cruz. Uma derrota no Texas iria ferir mortalmente sua campanha, e, na realidade, ele precisa de uma vitória com mais de 50% em seu estado natal para retornar à disputa. Marco Rubio também precisa engrenar e obter alguma vitória, já que nenhuma vitória em 16 disputas não inspira muita confiança."

Tim Hagle, professor de ciência política na University of Iowa

“Com Trump liderando as pesquisas em quase todos os estados, se ele ganhar em todos os estados (com exceção do Texas, onde Cruz está liderando), ele poderia estar bem em seu caminho para obter a nomeação. Ele seria difícil de ser parado. Por outro lado, se muitas das votações forem muito disputadas, porque ou Rubio ou Cruz cresceram, então, mesmo que Trump conquiste a maioria, isso poderia dar às pessoas uma sensação de que Trump é vulnerável.

O mais provável é que a Super Terça seja o “fim da linha” para Bem Carson. Carson não tem um caminho para a nomeação, mas ele parece não perceber isso. Ele e Kasich provavelmente terminarão na parte inferior da disputa em todos os estados. Kasich, pelo menos, tem a desculpa de permanecer na corrida até  os votos de Ohio, mas Carson não tem uma razão similar. Se Cruz não ganhar no Texas, sua campanha estará efetivamente acabada, mesmo que ele não saia imediatamente da disputa. Rubio parece estar em alta agora, mas, caso sua explosão aparente não seja percebida na terça-feira, então ele poderá estar ferido nas próximas votações. Caso os resultados não sejam muito bons para Trump, não será o final para ele, mas pode sugerir que ele não é imbatível."

Bob Oldendick, professor de ciência política da University of South Carolina

A Super Terça é super importante devido ao grande número de delegados participantes. Porém, todos os candidatos atuais continuarão na campanha após a data (com exceção de Ted Cruz, caso ele perca no Texas – o que não acredito que aconteça). Um candidato que vá bem na Superterça poderá utilizar o resultado para arrancar e também ir bem nas primárias dos dias 8 e 15 de março e terá um caminho livre para a nomeação; para candidatos que tenham um desempenho ruim, isso representa o começo do fim de suas campanhas.”

James E. Campbell, professor do departamento de ciência política da University of Buffalo

“Atualmente, o candidato com mais risco na Super Terça é Ted Cruz. Muitas das primárias são em estados do sul, que supostamente estão mais favoráveis a ele. Se ele não conseguir vencer em nenhum desses estados, é difícil enxergá-lo vencendo em qualquer outro lugar”.

Bruce Miroff, professor de ciência política da Albany University

Em resumo, a Super Terça não decidirá a nomeação de nenhum dos dois partidos, mas poderá fornecer um sinal claro de quem serão os prováveis candidatos. Se as pesquisas e outros indicatores estiverem certos, Trump e Clinton sairão da Super Terça com uma forte liderança na contagem de candidatos. Mas existem outras votações que serão críticas. Se a Super Terça for o fim de estrada para alguém, será para Ben Carson – e, potencialmente, para Ted Cruz, se ele for pior do que o esperado. Se Carson, com seu apoio entre os evangélicos, desistir, esses eleitores são mais favoráveis a apoiar Trump ou Cruz do que Rubio.

Bruce Ransom, professor de ciência política da Clemson University

“Se algum candidato não emergir e estabelecer um caminho para derrubar Trump na Super Terça, então o caminho de Trump em direção à nomeação republicana permanecerá quase imbatível. Dnald Trump pode sair da Super Terça com a melhor chance de recolher delegados nos estados ‘winner-take-all’, que começam a votar no dia 15 de março. Quem quer que vença a batalha entre Ted Cruz e Marco Rubio pode ter apoio insuficiente para vencer Trump.”

O Financista Todos os direitos reservados
Publicidade
Publicidade