PUBLICIDADE

Caçada por preso que fugiu com carcereira termina em morte

Uma agente penitenciária nos Estados Unidos que fugiu com um suspeito de assassinato de uma prisão do Estado do Alabama se matou quando os dois foram pegos, segundo autoridades americanas.

10 mai 2022 05h01
| atualizado às 07h20
ver comentários
Publicidade
O preso Casey White e agente penitenciária Vicky White
O preso Casey White e agente penitenciária Vicky White
Foto: Lauderdale County Sheriff's Office / BBC News Brasil

Uma agente penitenciária nos Estados Unidos que fugiu com um suspeito de assassinato de uma prisão do Estado do Alabama se matou quando os dois foram pegos, segundo autoridades americanas.

Vicky White, de 58 anos, morreu no hospital depois que ela e Casey White (que não tem parentesco com ela), de 38 anos, foram presos no Estado de Indiana após uma perseguição policial.

Os dois haviam desaparecido de uma prisão no condado de Lauderdale, em Alabama, em 29 de abril.

Acredita-se que eles estavam tendo um caso.

Segundo as autoridades, eles foram vistos pela última vez quando ela o transportava para uma falsa avaliação de saúde mental.

Esse era o último dia de trabalho de White antes de sua aposentadoria. Ela havia vendido recentemente sua casa e disse aos colegas que planejava passar mais tempo na praia.

Na noite de segunda-feira (9/5), o escritório de legistas do condado de Vanderburgh, em Indiana, confirmou que Vicky White morreu em um hospital local depois de atirar em si mesma ao ser presa. Mais informações sobre sua morte devem ser divulgadas nesta terça-feira (10/5), após uma autópsia.

O xerife do condado de Lauderdale, Rick Singleton, disse que o veículo do casal bateu após uma perseguição policial em Evansville, em Indiana, momento em que Casey White se rendeu.

"Nós tiramos um homem perigoso da rua hoje. Ele nunca mais verá a luz do dia", disse o xerife.

O US Marshals Service disse que os dois foram vistos pela última vez na sexta-feira da semana passada (6/5) dirigindo um Ford Edge cor de cobre com uma placa do Alabama.

White tinha um histórico impecável como guarda prisional.

"Eu teria confiado minha vida a Vicky", disse o promotor distrital do condado de Lauderdale, Chris Connolly, a repórteres. "Se precisávamos de algo da prisão, ela era a pessoa certa, nossa funcionária firme. É por isso que tudo isso é tão chocante."

Casey White foi acusado em setembro de 2020 de matar por esfaqueamento Connie Ridgeway, de 58 anos. Ele já estava cumprindo 75 anos por uma série de crimes violentos em 2015, incluindo roubo de veículo e perseguição policial.

Ele teria confessado o assassinato inicialmente, mas depois se declarou inocente por motivo de insanidade e estava aguardando julgamento em Lauderdale quando sumiu. Se for condenado, ele pode ser executado.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade