PUBLICIDADE

Mundo

Brasil está fora da sexta leva de autorização para sair de Gaza

Egito divulgou lista de pessoas autorizadas na manhã de quarta-feira, 8. Mais de 30 pessoas aguardam.

8 nov 2023 - 23h11
Compartilhar
Exibir comentários
Cerca de 1.410 brasileiros e 3 bolivianos de Israel, além de 32 brasileiros da Cisjordânia, foram repatriados desde o início do conflito Israel-Palestina.
Cerca de 1.410 brasileiros e 3 bolivianos de Israel, além de 32 brasileiros da Cisjordânia, foram repatriados desde o início do conflito Israel-Palestina.
Foto: Reprodução/Reuters

O Brasil não foi incluído na nova lista divulgada pelo Egito para sair de Gaza. Cerca de 34 pessoas, que estão sob a proteção do Itamaraty, aguardam para deixar a Faixa de Gaza. Esta é a sexta leva de autorizações, segundo o embaixador brasileiro na Cisjordânia, Alessandro Candeas, ao jornal A Folha de São Paulo. 

Ainda de acordo com o embaixador, desta vez, foram favorecidos a Ucrânia, com 228 pessoas, Filipinas, com 107, Estados Unidos, com 100, Alemanha, com 75, Romênia, com 51 e Canadá com 40 repatriados.

Ao todo, contando com o anúncio desta quarta-feira, mais de 4 mil pessoas já receberam passes autorizando a saída, menos os brasileiros. O grupo considerou a nova falha dolorida, visto que muitos deles estavam esperançosos

Na sexta-feira, 3, o chanceler israelense, Eli Cohen, havia prometido ao diplomata brasileiro, Mauro Vieira, a possibilidade de liberação. Contudo, a fronteira no posto de Rafah, que liga Gaza ao Egito, foi fechada no sábado, 4, devido a um ataque israelense a ambulâncias que levariam feridos graves ao Egito, segundo o Hamas. 

Mas, as esperanças não acabaram. Um novo acerto de saída foi feito, revisando os termos do acordo da quarta passada, 1, mediado por EUA, Qatar, Israel e Egito. As falhas contínuas têm levantado queixas sobre um suposto veto israelense, que foi negado pelo governo do país, devido ao posicionamento do governo brasileiro ao tratar da crise quando presidiu o Conselho de Segurança da ONU, durante o mês de outubro.

Quem decide quem pode ter essas autorizações são quatro países, sendo a voz final, o Egito. Considerando o prazo dado por Cohen, é possível que a solução para o caso dos brasileiros aconteça no fim desta semana.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade