1 evento ao vivo

Atirador de Estrasburgo gritou 'Allahu Akbar' antes de abrir fogo em atentado na França, diz procurador

Centenas de agentes estão em busca do homem que matou duas pessoas e feriu outras 12 em um mercado de Natal na França.

12 dez 2018
16h36
atualizado às 19h33
  • separator
  • 0
  • comentários

O atirador que abriu fogo contra pessoas que passeavam em um mercado de Natal em Estrasburgo, na França, gritou "Allahu Akbar" ("Deus é grande", em árabe) enquanto atacava, disse um promotor público a repórteres em Paris.

Segundo Rémy Heitz, duas pessoas morreram e outra teve morte cerebral após o ataque na cidade, no leste da França, nesta terça-feira.

Doze pessoas ficaram feridas, seis gravemente.

O mercado de Natal de Estrasburgo é um dos mais antigos da França e foi alvo de um ataque nesta terça-feira
O mercado de Natal de Estrasburgo é um dos mais antigos da França e foi alvo de um ataque nesta terça-feira
Foto: AFP / BBC News Brasil

O suspeito do ataque, identificado pela imprensa local como Chérif Chekatt, era conhecido pelas autoridades como alguém que se radicalizou na prisão.

Centenas de agentes estão hoje em busca do atirador, que fugiu após o ataque. O vice-ministro do Interior da França, Laurent Nuñez, reconheceu mais cedo que o procurado pode não mais estar em território francês.

Quatro pessoas ligadas ao suspeito foram detidas durante a noite em Estrasburgo, segundo Heitz. Fontes próximas aos investigadores ouvidas pela agência Reuters disseram que os detidos são a mãe, o pai e dois irmãos de Chekatt.

O homem, de 29 anos, portava uma arma e uma faca, e escapou utilizando um táxi.

O taxista, que prestou depoimento à polícia, disse que o suspeito entrou no carro sem fornecer um endereço de destino preciso, dizendo ao motorista que o guiaria. Conforme publicou o jornal Le Monde, o suspeito justificou seus ferimentos afirmando "ter atirado nos militares" e "matado 10 pessoas".

O criminoso pediu para descer no bairro de Neudorf, na fronteira entre a Alemanha e a França. Na saída do veículo, ele trocou mais tiros com policiais, ainda segundo o motorista.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, anunciou uma elevação no nível de alerta - ampliando o poder da polícia e intensificando a vigilância, inclusive nas fronteiras. Haverá reforço também na segurança de mercados de Natal em outras cidades.

Em Estrasburgo, o mercado permaneceu fechado nesta quarta-feira e bandeiras foram hasteadas a meio-mastro na sede da Prefeitura.

Após ataque em Estrasburgo, nível de alerta foi aumentado no país
Após ataque em Estrasburgo, nível de alerta foi aumentado no país
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

O que aconteceu?

O atentado aconteceu por volta de 20h no horário local (17h em Brasília) da terça-feira, perto do famoso mercado de Natal de Estrasburgo - próximo a uma das praças centrais da cidade, a Place Kléber. A região atrai anualmente milhares de visitantes.

Uma testemunha contou ao canal de TV francês BFM como foi o momento em que ficou cara-a-cara com o assassino depois de vê-lo atirar na cabeça de um homem.

O atirador mirou outra pessoa uma segunda vez, e mais um homem foi ao chão.

Seus amigos começaram a correr para se salvar, mas ela ficou paralisada. O atirador se virou para ela, a olhou - mas depois ele também correu.

"Por que ele não atirou em mim?", se perguntou a mulher durante a entrevista. "Não sei. Acho que fui extremamente sortuda. Enquanto todo mundo gritava, ele fugiu."

Segundo o promotor Heitz, na fuga, o criminoso trocou tiros com quatro soldados - ocorrência durante a qual ele ficou ferido.

A segurança foi reforçada em todo o país depois de ataque em Estrasburgo, mas autoridades admitem que suspeito pode ter deixado o país
A segurança foi reforçada em todo o país depois de ataque em Estrasburgo, mas autoridades admitem que suspeito pode ter deixado o país
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Quem é o suspeito?

Segundo a polícia, que se refere ao suspeito como Chérif C., o atirador nasceu em Estrasburgo e já era conhecido por serviços de inteligência como uma ameaça.

Ele era alvo de uma "fiche S", uma lista de monitoramento de pessoas que representam uma ameaça em potencial à segurança nacional.

O suspeito também teve 27 condenações na França, Alemanha e Suíça e, como resultado, passou tempo considerável na prisão.

Na manhã da terça-feira, ele havia sido procurado pela polícia por conta de outro caso, mas não foi achado em casa.

Mas, segundo Nuñez, seus outros crimes nunca foram de natureza semelhante à dos assassinatos em Estrasburgo. O promotor acrescentou, porém, que foi durante uma passagem na prisão que ele se radicalizou.

Durante buscas na sua casa após o crime, policiais encontraram uma granada, um fuzil e quatro facas.

O que se sabe sobre as vítimas?

Veículos de imprensa da Tailândia disseram que Anupong Suebsamarn, 45 anos, está entre as vítimas fatais. Acredita-se que ele passava as férias na França com sua esposa.

Não se sabe muito mais além disso, a não ser o fato de que não havia crianças feridas e que um agente policial foi atingido de raspão por um dos tiros.

Por que Estrasburgo é um alvo?

Não é a primeira vez que Estrasburgo foi alvo de ataques do tipo. Alguns de seus atributos são também vulnerabilidades.

A cidade não apenas tem um dos mercados de Natal mais antigos da França, como também é a sede oficial do Parlamento Europeu - que, inclusive, estava em sessão durante a noite do ataque.

Em 2000, o mercado era o alvo central de um ataque planejado pela rede extremista Al-Qaeda. Dez militantes do grupo foram presos quatro anos depois por sua participação no esquema frustrado pelas autoridades.

A segurança na região tem sido reforçada desde os ataques de Paris em 2015.

Veja também:

 

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade