Venezuela expulsa chefe da delegação da União Europeia

"Estamos fazendo isto porque as circunstâncias o exigem", disse chanceler

24 fev 2021
13h57 atualizado às 15h44
0comentários
13h57 atualizado às 15h44
Publicidade

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, disse nesta quarta-feira que a chefe da delegação da União Europeia em Caracas tem 72 horas para deixar o país sul-americano depois que o bloco impôs novas sanções a autoridades venezuelanas nesta semana.

24/02/2021
REUTERS/Manaure Quintero
24/02/2021 REUTERS/Manaure Quintero
Foto: Reuters

Ao anunciar a ação contra a portuguesa Isabel Brilhante, Arreaza descreveu as sanções contra 19 autoridades venezuelanas como "verdadeiramente inaceitáveis".

As sanções foram uma reação às eleições legislativas vencidas por aliados do presidente, Nicolás Maduro, que a oposição da Venezuela e muitas democracias ocidentais consideraram fraudulentas.

"Estamos fazendo isto porque as circunstâncias o exigem", disse Arreaza.

Em 2020, a Venezuela recuou em uma promessa de expulsar a representante da UE na nação filiada à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e em crise, medida que tomou em resposta a uma rodada anterior de sanções.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade